Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/3614
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_TiagodeHolandaPadilhaVieira.pdf170,12 kBAdobe PDFver/abrir
2011_TiagodeHolandaPadilhaVieira_Livro_finalizado.pdfLivro-reportagem40,14 MBAdobe PDFver/abrir
Título: A influência do sistema econômico da cana-de-açúcar na vida dos habitantes de Alagoas
Autor(es): Vieira, Tiago de Holanda Padilha
Orientador(es): Nascimento, Solano dos Santos
Assunto: Cana-de-açucar
Agroindústria
Economia agrícola
Data de apresentação: 1-Dez-2011
Data de publicação: 28-Mai-2012
Referência: PADILHA, Tiago. A influência do sistema econômico da cana-de-açúcar na vida dos habitantes de Alagoas. 2011. 48 f. Monografia (Bacharelado em Comunicação Social)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Resumo: O projeto consistiu na produção de um livro-reportagem intitulado Doce verde amargo – Traços da influência da cana-de-açúcar na sociedade de Alagoas, cujo tema é a influência do sistema econômico da cana-de-açúcar na sociedade de Alagoas. No estado, a cultura da cana responde por 84% do valor bruto da produção agrícola e por 95% das exportações. São apresentados diversos dados que revelam a importância do setor sucroalcooleiro não só para a economia alagoana, como para sua política. A reportagem compõe um perfil jornalístico inédito do setor e abordar a penetração dele em quatro grandes áreas: economia, política, trabalho e meio ambiente. Os principais referenciais teórico-metodológicos são os conceitos de reportagem e livro-reportagem apresentados no livro Páginas Ampliadas, de Edvaldo Pereira Lima, e, no que diz respeito ao estudo da cultura da cana em Alagoas, os autores Manuel Diégues Júnior, Manuel Correia de Andrade e Cícero Péricles de Carvalho. As principais conclusões do trabalho são: os empresários se valem da política institucional para obterem favores estatais, sem os quais não teriam tanta relevância social e econômica; fornecedores de cana e usineiros desrespeitam leis ambientais e trabalhistas; os índices sociais na região canavieira são de baixo desenvolvimento; e a produção de cachaça, rapadura e outros derivados da cana é economicamente frágil.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Comunicação, Departamento de Jornalismo, 2011.
Aparece na Coleção:Comunicação - Jornalismo



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons