Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/20586
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_BrunaLuizaCostaSantana_tcc.pdf306,99 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Gestação acima de 35 anos, resultados perinatais e via de parto no Brasil : uma revisão integrativa
Autor(es): Santana, Bruna Luiza Costa
Orientador(es): Griboski, Rejane Antonello
Assunto: Maternidade
Mulheres grávidas
Gravidez - complicações e sequelas
Data de apresentação: Jun-2018
Data de publicação: 27-Ago-2018
Referência: SANTANA, Bruna Luiza Costa. Gestação acima de 35 anos, resultados perinatais e via de parto no Brasil : uma revisão integrativa. 2018. 23 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Introdução: Adiar a maternidade tem se tornado cada vez mais comum entre as mulheres. Diversos motivos justificam esse adiamento, tais como a busca por independência financeira, estruturação da carreira profissional e parceiro ideal. Desfechos gestacionais adversos têm sido mais frequentemente associados à gestação com idade materna avançada pela literatura científica. Objetivo: Realizar revisão de literatura integrativa sobre a gestação acima de 35 anos no Brasil, tendo em vista os aspectos sociais e epidemiológicos das gestantes, a via de parto utilizada e os resultados perinatais associados à gestação tardia. Métodos: Estudo de caráter descritivo, exploratório, quantitativo, retrospectivo, baseado em revisão integrativa que responda à questão norteadora: “Quais são os resultados perinatais e a via de parto mais recorrente em mulheres que optam por engravidar tardiamente no Brasil?”. Foram analisados artigos científicos publicados nas bases de dados LILACS e SCIELO e disponíveis na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS/BIREME). A pesquisa utilizou os descritores “idade materna”, “resultado da gravidez” e “complicações da gravidez”, e incluiu os trabalhos desenvolvidos entre os anos de 1997 e 2017, brasileiros, cujas populações estudadas abarcassem a faixa etária de 35 a 50 anos de idade materna. Resultados: A busca resultou em 2251 artigos. Após a aplicação dos critérios de inclusão e exclusão foram selecionados 8 artigos publicados na íntegra e passíveis de download gratuito. Em seguida, foi possível agrupar quatro diferentes categorias temáticas: Escolaridade e a decisão da gestação tardia, que mostrou maior correlação entre mais alto nível escolar da gestante e a idade avançada no momento da gestação; Situação conjugal, que não mostrou associação significativa com a escolha da gestação tardia; Determinação da via de parto, que evidenciou maior correlação com partos cirúrgicos para essa faixa etária; Resultados perinatais adversos, que destacou complicações como maior risco de doenças clínicas na gestação e piores condições de nascimento dos recém-nascidos. Conclusão: A gestação tardia apresenta correlação com maiores taxas de partos cirúrgicos e com maior probabilidade de desfechos perinatais adversos em comparação com a população geral de gestantes segundo os estudos brasileiros avaliados.
Abstract: Introduction: Postponing motherhood has become increasingly common among women. Several reasons justify this venture, such as the search for financial independence, the structuring of the professional career and the ideal partner. Adverse pregnancy outcomes have been more frequently associated with advanced maternal age in the scientific literature. Objective: To perform an integrative review of literature on pregnancy over 35 years old in Brazil, considering the social and epidemiological issues of pregnant women, the obstetric mode of delivery used in labor and the perinatal outcomes associated with late pregnancy. Methods: A descriptive, exploratory, quantitative, retrospective study based on an integrative review that answers the guiding question: "What are the perinatal outcomes and the most recurrent mode of delivery in women who choose to become pregnant at an advanced age in Brazil?”. Scientific articles published in LILACS and SCIELO databases and available in the Biblioteca Virtual em Saúde (BVS / BIREME) were analyzed. The research used as descriptors "maternal age", "pregnancy outcome" and "pregnancy complications", and included the Brazilian studies developed between 1997 and 2017. Studies must include women in the range of 35 to 50 years old of maternal age. Results: The search has resulted in 2251 articles. After applying the inclusion and exclusion criteria, we selected 8 articles published in full and available for free download. It was then possible to group four different thematic categories: Schooling and the decision of pregnancy in advanced maternal age, which showed a higher correlation between the higher school level of the pregnant woman and the advanced age at the time of pregnancy; Marital status, which did not show significant association with the choice of late pregnancy; Determination of the obstetric mode of delivery, which showed a higher correlation with surgical deliveries for this advanced age group; Adverse perinatal outcomes, which highlighted complications such as increased risk of clinical diseases in pregnancy and worse birth conditions of newborns. Conclusion: Late pregnancy correlates with higher rates of surgical deliveries and with a higher probability of adverse perinatal outcomes compared to the general population of pregnant women according to the Brazilian studies evaluated.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Enfermagem, 2018.
Aparece na Coleção:Enfermagem



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons