Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/16305
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_VictoriaSantana_tcc.pdf1,19 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise do fomento do SUS à produção científica em práticas integrativas e complementares em saúde (2002 a 2014) : contribuições da Política Nacional de Ciência Tecnologia e Inovação em Saúde
Autor(es): Sant’ana, Victória
Orientador(es): Andrade, Priscila Almeida
Assunto: Práticas Integrativas e Complementares (Saúde)
Sistema Único de Saúde (Brasil)
Promoção da saúde
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 21-Mar-2017
Referência: SANT'ANA, Victória. Análise do fomento do SUS à produção científica em práticas integrativas e complementares em saúde (2002 a 2014): contribuições da Política Nacional de Ciência Tecnologia e Inovação em Saúde. 2016. 71 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: As Práticas Integrativas e Complementares em saúde abordam e estimulam a promoção do autocuidado, a prevenção de agravos e a recuperação da saúde por meio de tecnologias terapêuticas eficazes de qualidade seguras e de baixo custo, podendo ser aplicadas em nível individual e coletivo. Estão intrinsicamente vinculadas ao princípio da integralidade e permitem que o indivíduo seja o corresponsável pelo seu equilíbrio e bem-estar. A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICs) no Sistema Único de Saúde (SUS) surge como um instrumento para apoiar e reconhecer a diversidade terapêutica no país. As PICs são compreendidas como um campo de pesquisa e de intervenção que realizam uma atenção à saúde de modo integral em nível individual e coletivo. O objetivo deste trabalho foi analisar o financiamento na pesquisa em PICs, e a contribuição da Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) no fomento nacional e descentralizado de pesquisa nas áreas de PIC no período de 2002 a 2014. Trata-se de um estudo quantitativo de caráter exploratório, descritivo, analítico, cujos métodos adotados foram revisão de literatura e análise de conteúdo dos dados registrados no Sistema Pesquisa Saúde do MS. Observa-se que no fomento descentralizado 19 editais foram contemplados com projetos em PICs, representando 1% de todo o investimento em pesquisa nesta área. Conclui-se que as PIC também sofrem grande influência do modelo biomédico, pois ainda se centram na medicação, mesmo que sendo naturais, como fitoterapia e homeopatia. Há pouco investimento na pesquisa sobre outras práticas. A região nordeste apresentou-se em primeiro lugar no financiamento na agenda de PICs, investindo R$1.584.274,84 para execução de 32 projetos nessa área. É preciso revisar a PNPIC e a Agenda Nacional de Prioridades de Pesquisa em Saúde, afim de ampliar as técnicas de PICs que são contempladas em pesquisas e acessíveis nos serviços de saúde, beneficiando a população nos diferentes níveis de atenção.
Abstract: Complementary and Integrative Practices on health approach and stimulate the promotion of the self care, the prevention of injuries and the health recovery through efficient, safe and low cost therapy technologies, that can be applied on individual or group level. They are instrumentally connected to the principle of integrality and allow that the subject be corresponsable for his balance and welfare. The National Policy of Complementary and Integrative Practices on Health (PICs) of the Unified Health System (SUS) appears as an instrument to support and recognize the diversity of therapeutics practices on the country. The PICs are comprehend as a research field and intervention that give an attention health in a integrative way on both individual level and group level. The objective of this work was analyze the founding the researches on PICs and the contribution of the National Politics of Science, Technology and Innovation on Health, through the Department of Science and Technology (Decit) on the national fomentation and decentralized on research in the fields of PIC over the years of 2002 until 2014. The study is quantitative of character exploratory, descriptive,analytic, using methods such as literature revision and content analysis that are registered on the Health System Research of Health Ministry. Was observed on the decentralized fomentation 19 projects that were approved with projects on PICs, representing 1% of all investment on research on this area. Concludes that PICs suffers major influence from the biomedical model, because they are still focused on the medication, even being naturals, as phytotherapy and homeopathy. There are little investment on researches about other practices. The northeast region presented itself in first place in finance on the PICs agenda, investing R$ 1.584.274,84 for the execution of 32 projects on this field. There is a need to review the National Agenda of Research Priorities on Health, to enlarge the technics of PICs there are contemplated on researches and are accessible on the health services, benefiting the population on different levels of attention.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Graduação em Saúde Coletiva, 2016.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons