Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/10982
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_NataniLealCoriolano.pdf739,97 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise da frequência de recoletas de amostras biológicas como indicadores de qualidade em laboratório de análises clínicas do Distrito Federal
Autor(es): Coriolano, Natani Leal
Orientador(es): Lamounier, Thaís Alves da Costa
Coorientador(es): Silva, Izabel Cristina Rodrigues da
Assunto: Laboratórios - gestão da qualidade
Amostras biológicas - análise
Análises clínicas
Data de apresentação: 26-Jun-2015
Data de publicação: 25-Ago-2015
Referência: CORIOLANO, Natani Leal. Análise da frequência de recoletas de amostras biológicas como indicadores de qualidade em laboratório de análises clínicas do Distrito Federal. 2015. 37 f., il. Monografia (Bacharelado em Farmácia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: Os resultados dos testes laboratoriais influenciam em mais de 60% das decisões médicas, impactando diretamente na prevenção, diagnóstico, tratamento e seguimento de doenças. O processo total de análise é dividido em três fases: préanalítica, analítica e pós-analítica. Falhas em qualquer um dos estágios podem levar a prejuízos para a saúde do paciente e gerar custos adicionais à instituição. O uso de Indicadores de Qualidade (IQ’s) é estratégia fundamental para a garantia da qualidade, pois permite monitoramento do processo e direciona a tomada de ações. Este estudo tem como objetivo classificar os pedidos de recoleta de amostras biológicas para identificação de IQ’s em um laboratório de análises clínicas do Distrito Federal. Foram coletados dados acerca de pedidos de recoleta feitos no biênio 2013-2014. Ao todo, foram recebidas 304.361 amostras e, para 1.914 destas (0,62%), foi solicitada recoleta de acordo com os critérios do laboratório. A maioria dos pedidos teve origem na fase pré-analítica (57,7%). O motivo de rejeição mais frequente foi confirmação de resultado (40,7%), seguido por amostra insuficiente (21,9%), amostra coagulada (18,1%) e amostra hemolisada (11,9%). Estas recoletas foram solicitadas principalmente pelo setor de hematologia (43,6%), seguido pela bioquímica (29,0%) e imunologia (25,7%). O setor de emergência do laboratório representou apenas 0,1%. Quanto à procedência, a maioria das amostras rejeitadas foi solicitada pelo ambulatório (40,7%), emergência (30,4%) e clínica médica (12,4%). De maneira geral a porcentagem de pedidos é baixa, porém não exclui a necessidade de busca por menores índices. Foi detectado subnotificação no setor de emergência, o que aponta necessidade de melhoria no registro de informações. Os números destacados foram selecionados como IQ’s para a fase pré-analítica, servindo como norteadores para as futuras ações tomadas pela equipe. __________________________________________________________________________ ABSTRACT
Clinical laboratory results influence by more than 60% of medical decisions, directly impacting in prevention, diagnosis, treatment and disease monitoring. The Total Testing Process (TTP) is divided into three phases: pre-analytical, analytical and post-analytical. Failures in any of the stages can lead to damage to the patient's health and generate additional costs to the lab. The use of Quality Indicators (QI's) is a fundamental strategy for quality assurance once it allows monitoring of the process and directs taking actions. This study aims to classify new collection requests criteria of biological samples for IQ's identification in a clinical laboratory of the Federal District, Brazil. Data on those criteria made in the biennium 2013-2014 were collected. Altogether, 304361 samples were received. To those, 1.914 (0.62%), was sought new collection in accordance with any laboratory criteria. Most orders originated in the pre-analytical phase (57.7%). The most frequent reason for rejection was confirmation result (40.7%), followed by insufficient sample (21.9%), coagulated sample (18.1%) and hemolysed sample (11, 9%). Most of them were requested by the hematology sector (43.6%), followed by biochemical (29.0%) and immunology (25.7%). The lab's emergency department accounted for only 0.1%. Orders were mostly requested by the clinic (40.7%) emergency (30.4%) and internal medicine (12.4%). The percentage of orders is low, but does not exclude the need to search for lower rates. Underreporting was detected in the emergency sector, which indicates need for improvement in the registration information. The numbers mentioned were selected as IQ's for pre-analytical phase, serving as guidelines for future actions taken by the team.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Farmácia, 2015.
Aparece na Coleção:Farmácia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons