Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/4248
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_MarianaTeschMorgon.pdf875,29 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Reflexões sobre o pragmatismo e o pragmaticismo, a partir da análise da temporalidade-verdade de Lola em Corra, Lola, Corra
Autor(es): Morgon, Mariana Tesch
Orientador(es): Duarte, Pedro David Russi
Assunto: Personagens no cinema
Pragmatismo
Teleologia
James, William, 1842-1910
Peirce, Charles S. (Charles Sanders), 1839-1914
Data de apresentação: 7-Jul-2011
Data de publicação: 7-Jan-2013
Referência: MORGON, Mariana Tesch. Reflexões sobre o pragmatismo e o pragmaticismo, a partir da análise da temporalidade-verdade de Lola em Corra, Lola, Corra. 2011. 70 f., il. Monografia (Bacharelado em Comunicação Social)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Resumo: O presente trabalho procura compreender como Lola - personagem do filme alemão Corra, Lola, corra (1998), de Tom Tykwer - configura sua temporalidade, a partir do estudo de suas ações. Para tanto, são realizadas duas análises, uma a partir do pragmatismo de William James e outra a partir do pragmaticismo de Charles S. Peirce. A proposta, além de entender como se configura a temporalidade de Lola, é estudar os dois métodos, compreender as potencialidades dos mesmos pela forma como possibilitam o avanço das análises. O estudo começa com a localização histórica do pragmatismo, depois passa para as principais diferenças conceituais – para este trabalho – entre os dois métodos escolhidos. Em seguida os conceitos do pragmatismo de James são aprofundados e depois a análise a partir desse pragmatismo é realizada. O mesmo é feito com o pragmaticismo de Peirce para realizar, por fim, a articulação entre os dois métodos e compreender as potencialidades de cada um, bem como concluir de que forma a temporalidade de Lola pode ser entendida em cada análise. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT
The goal of this work is to study how Lola - character of the German film Run, Lola, Run (1998), directed by Tom Tykwer - develops her temporality, as a result of her actions. The duality of the analysis will consist of William James’ pragmatism and Charles S. Peirce’s pragmaticism. The purpose of this work is not only to understand Lola’s temporality but also to study both methods and to understand their effects considering the advancement of the analysis. The study begins with the historical placement of pragmatism, then the main conceptual diferences between the methods – to this work – are outlined. Subsequently, the concepts of James’ pragmatism are evaluated in depth and then the analysis using that method is made. The same process is implemented within Peirce’s pragmaticism to enable, at last, the articulation between both methods and the understanding of their potential, as well as the understanding of the way Lola’s temporality can be developed in each analysis.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Comunicação, Departamento de Audiovisuais e Publicidade, 2011.
Aparece na Coleção:Comunicação - Audiovisual



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons