Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/9362
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_LiliannyPereiraDePinhoAraujo.pdf360,95 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Estudo do absenteísmo de trabalhadores de Unidade de Saúde de Brasília-DF
Autor(es): Araújo, Lilianny Pereira De Pinho
Orientador(es): Zaitune, Maria Paula do Amaral
Assunto: Absenteísmo
Licença médica
Trabalhador - saúde
Data de apresentação: 9-Dez-2014
Data de publicação: 14-Jan-2015
Referência: ARAÚJO, Lilianny Pereira De Pinho. Estudo do absenteísmo de trabalhadores de Unidade de Saúde de Brasília-DF. 2014. [26] f., il. Monografia (Bacharelado em Gestão em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Resumo: O estudo buscou levantar informações sobre o absenteísmo, no ano de 2013, através dos atestados médicos apresentados pelos trabalhadores de um serviço de saúde pública – Unidade Mista de Saúde (UMS) da 508 Sul- Brasília, Distrito Federal. Foi realizada pesquisa descritiva, exploratória, de caráter quantitativo. Dos profissionais considerados no estudo (n = 87), 48 (55%) faltaram ao trabalho, no ano de 2013, por motivo de doença. Muitos atestados não continham informações sobre a classificação internacional de doenças. Em relação à proporção de atestados por categoria profissional, verificou-se que enfermeiros (22%) e médicos (22%) foram as categorias que mais apresentaram atestados. No entanto, quando realizada a média de atestados por categoria profissional, observou-se maior média os nutricionistas (4,5 atestados por profissional), seguidos por farmacêuticos (3,0), técnicos administrativos (2,6) e enfermeiros (2,5). Desta forma, o absenteísmo deve ser uma questão a ser mais valorizada pelos gestores e também pelo coletivo a fim de construírem juntos, formas melhores de processos e condições de trabalho.
Abstract: The study sought to raise information on absenteeism, in the year 2013, through the medical certificates submitted by employees of a public health service - Unidade Mista de Saúde (UMS) at 508 Sul - Brasília, Federal District. To search the results, descriptive research was conducted in a exploratory and quantitative way. Among professionals considered in the study (n = 87), 48 (55 percent) did not go to work at least one day in 2013, due to illness. Many certificates do not contain information on the international classification of diseases. Regarding the proportion of certified by professional category, it was found that nurses (22%) and physicians (22%) were the categories that most presented certificates. However, when analyzed the average certificates presented by professional category, those who had the highest average were nutritionists (4.5 by professional certificates), followed by pharmacists (3.0), administrative technicians (2.6) and nurses (2.5). In this way, the absenteeism should be a matter to be more considered by managers and also by the collective in order to build together better ways to processes and working conditions.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Saúde Coletiva, 2014.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons