Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/8455
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_NataliaAraujoCunha.pdf1,31 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Desempenho das Classificações RIFLE e AKIN na predição da oligúria em pacientes com disfunção renal
Outros títulos: RIFLE and AKIN performance ratings in predicting renal dysfunction in critically ill patients with oliguria
Autor(es): Cunha, Natália Araújo
Orientador(es): Magro, Marcia Cristina da Silva
Assunto: Insuficiência renal aguda
Oligúria
Data de apresentação: 24-Jun-2014
Data de publicação: 23-Set-2014
Referência: CUNHA, Natália Araújo. Desempenho das Classificações RIFLE e AKIN na predição da oligúria em pacientes com disfunção renal. 2014. 47 f. Monografia (Bacharelado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Ceilândia-DF, 2014.
Resumo: Introdução: A lesão renal aguda tem um grande impacto na sobrevida dos pacientes admitidos nas Unidades de Terapia Intensiva. Objetivo: Comparar o desempenho das Classificações RIFLE e AKIN na predição da oligúria em pacientes críticos com disfunção renal. Método: Estudo longitudinal, prospectivo, quantitativo. Foi desenvolvido na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Ceilândia durante o período de um ano. A casuística foi composta de 30 pacientes que evoluíram com lesão renal aguda. Foram incluídos os pacientes com idade superior a 18 anos, que assinarem o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, com valor de creatinina sérica até 1,5 mg/dL. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa sob CAAE 17567013.2.0000.5553. Os dados foram expressos em frequência absoluta (n) e frequência relativa (%) e em mediana e percentil 25 e 75. Valores de p < 0,05 foram considerados significativos. Resultados: A idade média dos 30 pacientes foi de 57 anos. A maioria (53,3%) era do sexo feminino e 56,7% faziam uso de droga vasoativa. 93,3% dos pacientes evoluíram com disfunção renal pela Classificação AKIN e 90% pela Classificação RIFLE. Dos 26 pacientes com oligúria 81,8% evoluíram para óbito. Pela Classificação AKIN 81,8% e pelo RIFLE 90% dos pacientes com oligúria evoluíram com disfunção renal. O óbito ocorreu em 90,9% dos pacientes com disfunção renal pelo AKIN e em 81,8% pelo RIFLE. Conclusão: Não houve diferença significativa para a identificação de disfunção renal entre as Classificações RIFLE e AKIN, o desempenho entre ambas foi similar. _______________________________________________________________________ ABSTRACT
Introduction: Acute kidney injury has a major impact on survival of patients admitted to the Intensive Care Units. Objective: Compare the performance of the RIFLE and AKIN classifications in predicting oliguria in critically ill patients with renal dysfunction. Method: Longitudinal, prospective, quantitative study. Was developed in the Intensive Care Unit of the Regional Hospital of Ceilândia during one year. The casuistry of 30 patients who developed acute kidney injury. Patients aged over 18, who signed the term of free and informed consent and with serum creatinine to 1.5 mg / dL were included. The study was approved by the Ethics and Research under CAAE 17567013.2.0000.5553. Data were expressed as absolute frequency (n) and relative frequency (%) and median and 25 and 75 percentile. Statistical analysis: Data were expressed as absolute frequency (n) and relative frequency (%) and median and 25th and 75th percentile. P values <0.05 were considered significant. Results: The mean age of the 30 patients was 57 years. The majority (53.3%) were female and 56.7% were using vasoactive drugs. 93.3% of patients developed renal dysfunction by AKIN classification and 90% by RIFLE classification. Of the 26 patients with oliguria 11 (81.8%) died. By the AKIN classification 81,8% and by the RIFLE classification 90% of patients with oliguria developed with renal disfunction. Death occurred in 90.9% of patients with renal dysfunction by AKIN and 81,8% by RIFLE. Conclusion: There was no significant difference for the identification of renal dysfunction between the RIFLE and AKIN Classifications, performance was similar between both.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, 2014.
Aparece na Coleção:Enfermagem



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons