Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/763
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2009_AnaCarolineSouzaKozlowski.pdf867,62 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Estudo comparativo da cultura organizacional entre a área de vendas e as áreas de suporte de uma empresa de grande porte
Autor(es): Kozlowski, Ana Caroline de Souza
Orientador(es): Faria, Maria de Fátima Bruno de
Assunto: Cultura organizacional
Comportamento organizacional
Administração de empresas
Data de apresentação: 7-Jul-2009
Data de publicação: 25-Nov-2009
Referência: KOZLOWSKI, Ana Caroline de Souza. Estudo comparativo da cultura organizacional entre a área de vendas e as áreas de suporte de uma empresa de grande porte. 2009. 75 f. Monografia (Bacharelado em Administração)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009.
Resumo: Este trabalho teve como objetivo comparar a percepção de profissionais da área fim e das áreas de suporte de uma empresa de grande porte em relação à cultura organizacional. A cultura é formada por valores e práticas do dia-a-dia que podem ser percebidos ou não pelos funcionários. Os valores, definidos pelo instrumento utilizado, são: profissionalismo cooperativo, profissionalismo competitivo e individualista e satisfação e bem-estar dos empregados. E as práticas são: integração externa, recompensa e treinamento e promoção do relacionamento interpessoal. Com base na literatura sobre o tema e a partir de Instrumento Brasileiro para Avaliação da Cultura Organizacional (IBACO), foi possível realizar a pesquisa sobre o tema na organização escolhida. A metodologia de pesquisa teve caráter misto, sendo parte dela qualitativa e parte, quantitativa. A pesquisa qualitativa forneceu informações sobre a cultura da empresa por meio da pesquisa documental. Já a pesquisa quantitativa utilizou a técnica de levantamento de dados, survey, por meio de um questionário validado cientificamente, o IBACO. A população era de 200 funcionários, sendo que 53 deles responderam o questionário. As estatísticas utilizadas para análise dos resultados foram média, desvio-padrão e as correlações de Pearson. De acordo com os resultados obtidos, as médias finais dos fatores variaram de 3,40 a 4,11 em um intervalo de 1 a 5. Isso indica que o valor Profissionalismo cooperativo e a prática Integração externa são fatores da cultura da empresa bastante aplicáveis à realidade e, portanto, estão mais disseminados, percebidos e compartilhados pelos seus membros. Os fatores Satisfação e bem-estar dos empregados e Recompensa e treinamento foram avaliados como razoavelmente presentes, podendo, então, ser melhor desenvolvidos. E, por fim, a prática Promoção do relacionamento interpessoal e o valor Profissionalismo competitivo e individualista foram os que apresentaram menores médias. Pode ser interessante para empresa que o valor Profissionalismo competitivo e individualista esteja menos presente, porém a prática Promoção do relacionamento interpessoal avaliada como pouco presente precisa ser trabalhada pela organização. Observou-se também que a área de Recursos Humanos foi a que apresentou melhores resultados, seguida da área de Vendas (área fim) e logo depois, Marketing. As demais apresentaram menores médias e por isso, precisam desenvolver tais valores e práticas da cultura da empresa.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação, Departamento de Administração, 2009.
Aparece na Coleção:Administração



Todos os itens na BDM estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.