Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/7501
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_AndersonCardosoRubin.pdf438,17 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Razão, retidão e justiça : a questão do conhecimento em A cidade das damas de Christine de Pizan
Autor(es): Rubin, Anderson Cardoso
Orientador(es): Bensusan, Hilan
Assunto: Pizan, Christine de, 1363-1430
Filosofia medieval
Data de apresentação: 10-Dez-2013
Data de publicação: 22-Mai-2014
Referência: RUBIN, Anderson Cardoso. Razão, retidão e justiça: a questão do conhecimento em A cidade das damas de Christine de Pizan. 2013. 49 f. Monografia (Bacharelado e Licenciatura em Filosofia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Resumo: Em A cidade das damas, de Christine de Pizan (1366-1430), a narrativa é estruturada pelo encontro dialético de Christine – a personagem alter ego da autora – e três figuras alegóricas de damas que personificam a Razão (Raison), a Retidão (Droiture) e a Justiça (Justice). O presente estudo busca descrever o conhecimento nos livros que compõem a referida obra: no Livro I, o conhecimento a partir do nosce teipsum e a relação que cada mulher estabelece com o seu próprio corpo como via de experiência direta; no Livro II, o conhecimento da verdade como a justa medida do bem e como fundamento das virtudes cardeais; e, no Livro III, o conhecimento contemplativo como denúncia e resposta ao mais brutal argumento misógino, o feminicídio. Busca ainda reconstituir o debate entre a autora ítalo-francesa e a tradição filosófica antiga e medieval, apontando os caminhos que ela propõe para a revolução, a resiliência e a resistência do feminino ante o pensamento misógino.
Abstract: In The book of de City of Ladies, by Christine de Pizan (1366-1430), the narrative is structured by the dialectic appointment of Christine – the alter ego character of the authoress – and three allegorical figures of ladies who personify Reason (Raison), Rectitude (Droiture) and Justice (Justice). This study seeks to describe the knowledge in books that make up such work: in the Book I, the knowledge arisen from nosce teipsum and the relationship that each woman has with her own body by way of direct experience; in the Book II, knowledge of truth as the proper measure of the good and as a basement of the cardinal virtues; and, in Book III, the contemplative knowledge as complaint and response to the most brutal misogynist argument, the femicide. It also seeks to reconstruct the debate between the Italo-French authoress and medieval and ancient philosophical tradition, pointing out the ways that it proposes to revolution, resilience and resistance of the female before the misogynistic thinking.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Filosofia, 2013.
Aparece na Coleção:Filosofia - Graduação



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons