Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/4362
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_AttilaBlacheyre.pdf158,22 kBAdobe PDFver/abrir
Título: O marco histórico literário da nossa brasilidade
Autor(es): Blacheyre, Attila
Orientador(es): Araújo, Adriana de Fátima Barbosa
Assunto: Poesia épica brasileira
Literatura e história
Poetas brasileiros
Literatura brasileira - história e crítica
Data de apresentação: 28-Nov-2012
Data de publicação: 21-Jan-2013
Referência: BLACHEYRE, Attila. O marco histórico literário da nossa brasilidade. [2012]. [26] f. Monografia (Bacharelado em Letras Português)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Resumo: O Uraguai é marco de transição entre a epopeia e o romance. A obra é multifacetada, pois contém relato histórico com elementos geográficos, climáticos e da paisagem como de fato ela era. O afastamento da realidade também ocorre, mas na busca da estética da obra. O livro apresenta dois eixos divergentes: a leitura superficial apresenta a crítica de um protegido de pombal contra os jesuítas; a análise mais aprofundada mostra, ao contrário, um amor à terra e a seus legítimos donos, os índios. Apesar de completar o Uraguai com 28 anos, Basílio da Gama trazia a marca das várias influências a que foi submetido: o pombalismo, a convivência com oficiais do exército, o período vivido na Arcádia Romana na Itália. Tudo isso permeado por uma brasilidade (talvez latinoamericanidade) precursora do nosso nacionalismo. A brevidade da obra torna o seu estilo quase jornalístico e sempre atual; a leveza e o distanciamento da mitologia evitam o confronto com o catolicismo. O Uraguai surge como obra-mãe do indianismo brasileiro.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Monografia em Literatura, 2012.
Aparece na Coleção:Letras - Português



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons