Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/32022
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2022_TainaTomazDosSantos_tcc.pdf631,57 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Políticas públicas de fortalecimento do acolhimento e convivência familiar
Autor(es): Santos, Taina Tomaz dos
Orientador(es): Cader-Nascimento, Fatima Ali Abdalah Abdel
Assunto: Acolhimento institucional
Adolescentes e família
Políticas públicas nacionais
Data de apresentação: 2022
Data de publicação: 21-Set-2022
Referência: SANTOS, Taina Tomaz dos. Políticas públicas de fortalecimento do acolhimento e convivência familiar. 2022. 40 f. Trabalho de conclusão de curso (Especialização em Garantia dos Direitos e Política de Cuidados à Criança e ao Adolescente) — Universidade de Brasília, Brasília, 2022.
Resumo: O presente estudo de caso discute a funcionalidade da rede socioassistencial na oferta de serviços, programas e ou projetos que contribuam para o fortalecimento da conivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes. Apresentamos um olhar acerca da proteção social básica com a prevenção e, consequentemente, na proteção especial de média e alta complexidade. Realizou-se estudo retrospectivo, de dois casos fruto da nossa atuação profissional, enquanto técnica em uma Instituição de Acolhimento. Os casos referem a história de vida de duas adolescentes com 15 anos de idade. A escolha dessas histórias foi em decorrência dos seguintes fatores: pela forma que as adolescentes enfrentaram as violações de direitos que sofriam no âmbito familiar e lutaram para que a situação fosse revertida; pela coragem que tiveram em denunciar os agressores, não se deixando intimidar com as ameaças dos mesmos, para que voltassem atrás com as denúncias. A pesquisa adotou a abordagem descritiva e explicativa dentro da perspectiva qualitativa. Os procedimentos de análise de dados pautaram-se na leitura e releitura das informações obtidas nos documentos institucionais e, posteriormente, na elaboração de quatro categorias de análise: perfil, procedimentos de atendimento, processos de acolhimento e, por fim, o impacto do acolhimento. Os resultados evidenciaram que mesmo com toda a infraestrutura ainda não é possível garantir a ampliação da autoconfiança, autonomia, iniciativa das adolescentes no seu retorno à família e na manutenção dos encaminhamentos realizados no momento do desligamento institucional. Concluímos que o fluxo do atendimento e acolhimento previsto e garantido pelas políticas públicas é efetivo durante o acolhimento, mas não se mantém após o retorno à família, fato que demanda por mais pesquisas no sentido de compreender a dinâmica envolvida em todo o processo.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (especialização) — Universidade de Brasília, Faculdade de Educação; Escola Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente/ Escola Nacional de Socioeducação, 2022.
Licença: A concessão da licença deste item refere-se ao termo de autorização impresso assinado pelo autor que autoriza a Biblioteca Digital da Produção Intelectual Discente da Universidade de Brasília (BDM) a disponibilizar o trabalho de conclusão de curso por meio do sítio bdm.unb.br, com as seguintes condições: disponível sob Licença Creative Commons 4.0 International, que permite copiar, distribuir e transmitir o trabalho, desde que seja citado o autor e licenciante. Não permite o uso para fins comerciais nem a adaptação desta.
Aparece na Coleção:Garantia dos Direitos e Política de Cuidados à Criança e ao Adolescente



Todos os itens na BDM estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.