Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/307
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2006_FernadoLuzAzevedo.pdf652,09 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Baudelaire não pauta o turismo : um estudo de caso : o Correio Brasiliense
Autor(es): Azevedo, Fernando Luz de
Orientador(es): Montoro, Tânia Siqueira
Assunto: Turismo
Correio Braziliense
Jornalismo
Data de apresentação: Fev-2006
Data de publicação: 1-Jun-2009
Referência: AZEVEDO, Fernando Luz de. Baudelaire não pauta o turismo: um estudo de caso: o Correio Brasiliense. 2006. 76 f. Monografia (Especialização em Formação de Professores e Pesquisadores em Turismo e Hospitalidade)-Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
Resumo: Ir ao fundo do desconhecido para encontrar o novo é o que propunha o poeta e crítico Baudelaire, no século 19. Reconhecido como um dos fundadores da poesia moderna criou uma nova estratégia da linguagem. Com ela, concedeu a toda realidade o direito de ser submetida ao tratamento poético. Uma nova estratégia de linguagem é algo que está a fazer falta ao jornalismo do caderno de Turismo do Correio Braziliense. Textos esquemáticos, imagens empobrecidas, enfoques sem profundidade não apóiam o leitor que busca descortinar mundos singulares. A pressa do jornalismo, empurrada pela ditadura dos prazos industriais e a ocupação de espaços pelo mercado acentuam o distanciamento das reportagens com o leitor. Por outro lado, deixar de ir ao fundo do desconhecido é mal de que também padece o campo do conhecimento do Turismo, impedindo o desenvolvimento da riqueza conceitual que o cerca e empobrecendo tanto a viagem quanto a hospitalidade, em prejuízo do turista. Aprofundar a discussão do jornalismo com foco no turismo e buscar entender suas superposições com o campo do conhecimento turístico pode vir a beneficiar tanto a quem quer encontrar o novo quanto a quem deseja conhecer a realidade. É preciso buscar uma estratégia de linguagem que envolva o leitor. Esta é missão tanto dos que fazem o jornalismo quanto dos que movimentam o turismo. Este trabalho discute, a partir do Correio Braziliense, a interdependência entre turismo e jornalismo pretendendo contribuir para mostrar que o bom tratamento de um refletirá positivamente no outro.
Abstract: To go deep in the unknown to find the new was the purpose of the poet and critics Baudelaire, in the 19th century. He is remembered as being one of the founders of modern poetry by creating a new strategy of language. With it, he made possible to see the reality by focusing in the poetic treatment. A new strategy of language is what is missing to the tourism journalism of the “Correio Braziliense” news paper. Schematized texts, poor images, weak focus don’t help the readers to discover new singular places. The hurry, pushed by industrial deadlines, and the need to increase the market make the reports distant from the readers. In the other hand, to leave deep in the unknown is a problem of the tourism knowledge, obstructing the development of the conception of wealth that surrounds it and making poor the trip as the hospitality, which is bad to the tourist. To make the journalists discussions deeper in the tourism area and try to understand its singularities can help who wants to discover the news as who wishes to find out the reality. It’s needed to find a new language strategy that involves the reader. This is the mission of those who works with journalism as those who movements the tourism. Considering Correio Brasiliense newspaper, this article discusses the interdependence between the tourism and the journalism. It pretends to show that the good treatment of one will reflect in the treatment of the other.
Informações adicionais: Monografia (especialização)-Universidade de Brasília, Centro de Excelência em Turismo, 2006.
DOI: http://dx.doi.org/10.26512/2006.02.TCC.307
Aparece na Coleção:Formação de Professores e Pesquisadores em Turismo e Hospitalidade



Todos os itens na BDM estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.