Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/23195
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_BrendaCristinaDiasVidal_tcc.pdf296,78 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Intervenções não farmacológicas para alívio da dor no exame de fundo de olho : revisão integrativa
Autor(es): Vidal, Brenda Cristina Dias
Orientador(es): Ribeiro, Laiane Medeiros
Assunto: Olhos - exame
Dor
Prematuros
Data de apresentação: 19-Out-2018
Data de publicação: 19-Fev-2020
Referência: VIDAL, Brenda Cristina Dias. Intervenções não farmacológicas para alívio da dor no exame de fundo de olho: revisão integrativa. 2018. 26 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Introdução: Estudos comprovam a presença de dor durante e após o exame de fundo de olho para rastreio da ROP. Objetivo: compreender quais são as intervenções não farmacológicas encontradas na literatura para alívio da dor aos RNPT submetidos ao exame de fundo de olho. Metodologia: Revisão Integrativa da Literatura realizada nas bases de dados LILACS, MEDLINE, SCIELO, PUBMED E SCOPUS, utilizando os descritores: do MESH “Retinopathy of Prematurity AND pain “, “Retinopathy of Prematurity AND pain AND newborn” e “Pain AND Neonatal Prematurity AND Non Pharmacological Interventions”. Foram encontrados 15 artigos de acordo com os critérios de inclusão e exclusão. Resultados: Os artigos selecionados comprovam a eficácia de métodos não farmacológicos como sacarose, glicose, leite humano, contenção, sucção nutritiva associada ou não a soluções adocicadas, nenhum artigo referiu sobre o método canguru. Constata-se que as intervenções não farmacológicas combinadas (80%) são mais eficazes do que de forma isolada (20%). Ao comparar o leite humano e a sacarose, nenhum dos artigos (100%) obteve eficácia na comparação, o leite humano é tão eficaz quanto a sacarose no alívio da dor durante o fundo de olho. Conclusão: Os RNPT são submetidos a dor durante o exame de fundo de olho, manifestado por alterações em parâmetros biológicos, fisiológicos e comportamentais, o que ratifica a importância da administração de intervenções não farmacológicas para alívio da dor durante o exame de fundo de olho.
Abstract: Introduction: Studies have proven the presence of pain during and after the ocular fundus examination for diagnosis of ROP (Retinopathy of Prematurity). Objective: Identify and comprehend which are the non pharmacological interventions found in international literature for relief of pain in PN undergoing the ocular fundus examination. Methodology: Integrative review of literature conducted on LILACS, MEDLINE, SCIELO, PUBMED and SCOPUS databases, using the descriptors from MESH: “Retinopathy of Prematurity AND pain”, “Retinopathy of Prematurity AND pain AND newborn”, and “Pain AND Neonatal Prematurity AND Non Pharmacological Interventions”. It was found 15 articles according to inclusion and exclusion standards. Results: The selected articles have proven the efficiency of non pharmacological methods such as sucrose, glucose, breast milk, restraint, non-nutritional sucklings associated or not to sweetened solutions, though none of the articles refers to the kangaroo method. It is verified that the non pharmacological interventions combined (80%) are more efficient than isolated (20%). When comparing breast milk and sucrose, none of the articles (100%) was able to determinate the difference, which means breast milk is as efficient as sucrose to relief the pain during the ocular fundus examination. Concusion: The PN are subjected to pain undergoing the ocular fundus examination, manifested by alterations in biological, phisiological and behavioral parameters, which states the importance of using non pharmacological interventions to relief the pain during the ocular fundus examination.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, 2018.
Aparece na Coleção:Enfermagem



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons