Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/23119
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_ArthemiaLarissaDeSouzaReisSampaio_tcc.pdf616,74 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Perfil clínico e socioeconômico das gestantes que tiveram fetos com síndrome de anomalias congênitas do Distrito Federal-Brasil-2007 a 2016
Autor(es): Sampaio, Arthemia Larissa de Souza Reis
Orientador(es): Araújo, Wildo Navegantes de
Assunto: Doenças congênitas
Anomalias congênitas
Mulheres grávidas
Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC)
Data de apresentação: 26-Jun-2018
Data de publicação: 12-Fev-2020
Referência: SAMPAIO, Arthemia Larissa de Souza Reis. Perfil clínico e socioeconômico das gestantes que tiveram fetos com síndrome de anomalias congênitas do Distrito Federal-Brasil-2007 a 2016. 2018. 50 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: As anomalias congênitas são distúrbios de desenvolvimento e alterações na formação ou função do corpo que ocorrem durante a vida intrauterina tendo uma etiologia heterogênea. O Brasil detém 11,2% dos óbitos por essa causa. O estudo tem por objetivo descrever o perfil clínico e socioeconômico das gestantes que tiveram fetos com síndrome de anomalias congênitas e estudar os fatores associados a ocorrência dessas anomalias no Distrito Federal (DF), no período de 2007 a 2016. Trata-se de um estudo analítico do tipo coorte retrospectiva utilizando dados secundários provenientes do Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos. Foram utilizadas as seguintes variáveis maternas: idade, estado civil, escolaridade, tipo de parto, tipo de gravidez e número de consultas pré-natal. As variáveis selecionadas foram descritas a partir de suas frequências absolutas e relativas. Realizou-se uma regressão logística binária utilizando como desfecho a presença ou ausência de anomalia congênita. Foram identificados 442.129 registros de nascidos vivos no DF no período estudado. A anomalia mais frequente identificada foi a deformidade congênita do aparelho osteomuscular, representando 31,59%. Dentre as mães cujos filhos apresentaram anomalias congênitas, 24,7% se encontravam na faixa etária de 20 a 29 anos, 48,7% eram solteiras e 49,4% possuíam entre 8 a 11 anos de estudo. Em relação ao número de consultas de pré-natal, 58,3% realizaram 7 ou mais consultas, 65,9% tiveram parto cesáreo, 74,9% tiveram o parto termo e 95,9% possuíam gravidez do tipo única. Encontrou-se associação entre o parto vaginal e a presença de anomalia congênita (OR = 1,6; IC95% 1,4 -1,7). Ter menos de 40 anos, em período termo e gravidez única constitui-se de fator de proteção para o desfecho. Identificar fatores associados à ocorrência de anomalias congênitas caracteriza-se como um importante instrumento para o planejamento de ações e o desenvolvimento de políticas públicas no âmbito materno-infantil. Com a escassez de estudos sobre o tema no DF, esse trabalho pode subsidiar futuras pesquisas com dados primários com o intuito de identificar o impacto dos fatores associados ao desfecho.
Abstract: Congenital anomalies are development disorders and modifications in the formation or function of the body that occur during intrauterine life with a heterogeneous etiology involving both genetic and environmental factors. Congenital anomalies are the second mortality cause of neonatal and children under 5 years worldwide. In Brazil it is responsible for 11.2% of the deaths in this category. The objective of this study was to describe the clinical and socioeconomic profile of pregnant women who had a fetus with congenital anomaly syndrome in the Federal District - Brazil from 2007 to 2016. This is a descriptive, analytical and quantitative study with information collected by secondary data of the Declarations of Live Births with 442,129 records of live births in this period. The incidence of congenital anomalies in Brazil in the year of the study varied from 6.5 to 9.1/1,000 live births. The most frequent anomaly in the Federal District in the years of the study in question was the congenital deformity of the osteomuscular apparatus, wich had a incidence of 959 (32%). A high percentage of pregnant women, 1450 (47.8%), wich had children with congenital anomalies were aged in groups between 20-29 years, the majority of mothers were single 1478 (48.7%), with frequent scholarity between 8 and 11 years of study 1501 (49.4%).Within the studied group the majority of pregnant women with children having anomalies attained 7 or more prenatal consultations with 1771 (58.3%), had cesarean 2000 (65.9%) was statistical association between the type of delivery and the outcome, since the vaginal delivery has a 1.6 greater chance of malformation, the ones who gave birth in the term period were 2274 (74.9%), the type of total pregnancy was 2912 (95.9%), there was a statistical association in less than 40 years, in term and single pregnancy, with a lower risk of congenital anomalies. It emphasizes the importance of these studies for the description and identification of the characteristics associated with congenital anomalies in Brazil, for the improvement of public policies and assists the families of the subject in question, the importance of prenatal and family planning.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, 2018.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons