Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/21482
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_MarinaGranzotto_tcc.pdf1,9 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise do crescimento inicial de espécies herbáceas e subarbustivas do cerrado para fins paisagísticos
Autor(es): Granzotto, Marina
Orientador(es): Pastore, Júlio Barêa
Coorientador(es): Gatto, Alcides
Assunto: Plantas ornamentais
Data de apresentação: 5-Jul-2018
Data de publicação: 20-Fev-2019
Referência: GRANZOTTO, Marina. Análise do crescimento inicial de espécies herbáceas e subarbustivas do cerrado para fins paisagísticos. 2018. 49 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia Florestal)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: As formações savânicas e campestres do Cerrado reúnem inúmeras espécies de alto valor ornamental. Devido à carência de informações, as espécies potencialmente ornamentais não são comercializadas em viveiros, tão pouco presentes em projetos paisagísticos. O presente estudo buscou analisar o crescimento inicial de quatro espécies do estrato herbáceo-subarbustivo do Cerrado com potencial ornamental. O experimento foi conduzido no Instituto de Ciências Biológicas - Universidade de Brasília (UnB). Foram consideradas 48 parcelas via semeadura direta, de 1,20 x 1,20 m, com área útil de 1 m², as quais receberam uma combinação de 16 tratamentos, com 3 repetições cada, envolvendo os fatores calcário, fósforo, areia e juta, em delineamento inteiramente casualizado (DIC). Foi realizada a quantificação e mensuração da altura de todos os indivíduos da parcela. Os dados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) com posterior teste de Tukey a 5% de significância. As espécies Lepidaploa aurea, Aldama robusta e Schizachyrium sanguineum foram consideradas promissoras para futuros usos em projetos paisagísticos. Lepidaploa aurea não se mostrou exigente à adubação fosfatada e se beneficiou com a adição da areia. A Aldama robusta se desenvolveu melhor nos tratamentos que tiveram fosfatagem. Para a Chresta sphaerocephala, o uso da semeadura direta não foi tão satisfatório. Este trabalho servirá para estimular a inserção de espécies ornamentais do Cerrado em projetos paisagísticos, contribuindo assim para o desenvolvimento de uma estética local e identitária, bem como a prestação de serviços ecológicos.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2018.
Aparece na Coleção:Engenharia Florestal



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons