Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/21431
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_PedroVictorNogueiraDeSouza_tcc.pdf182,96 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Influência da obesidade e elevadas taxas antropométricas nas respostas cardíacas no exercício físico
Autor(es): Souza, Pedro Victor Nogueira de
Orientador(es): Bezerra, Ricardo Flávio de Araújo
Assunto: Batimento cardíaco
Pressão arterial
Hipertensão
Data de apresentação: 2018
Data de publicação: 16-Fev-2019
Referência: SOUZA, Pedro Victor Nogueira de. Influência da obesidade e elevadas taxas antropométricas nas respostas cardíacas no exercício físico. 2018. 25 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi compilar estudos predominantemente recentes que retratem o impacto que a obesidade e elevadas taxas antropométricas causam nas respostas cardíacas no exercício físico. A pesquisa de artigos científicos para a revisão bibliográfica foi realizada nas bases de dados eletrônicas Scielo, Lilacs, Medline e Pubmed. Para a revisão também foram feitas buscas em livros e materiais científicos que tratam do tema, dando preferência àqueles mais recentes. Foram utilizadas combinações das seguintes palavras chave em português e inglês: antropometria, obesidade, resposta cardiovascular, freqüência cardíaca, pressão arterial e exercício. Foram selecionados artigos que demonstram respostas cardíacas em obesos antes, durante ou logo após o exercício. Entre as variáveis cardíacas analisadas nos artigos estão respostas cardiorrespiratórias, respostas da pressão arterial e variabilidade de freqüência cardíaca. Os achados demonstram que em indivíduos obesos e com elevadas taxas antropométricas, se comparados com eutróficos, apresentam piores respostas cardíacas tanto em repouso como em exercício físico. Isso se dá pelo fato de indivíduos obesos e com sobrepeso apresentarem níveis elevados de freqüência cardíaca, pressão arterial alta, respostas cardiorrespiratórias ruins e ainda apresentarem pior recuperação da freqüência cardíaca após o exercício físico. Concluindo que a obesidade e elevadas taxas antropométricas contribuem para uma desregulação do sistema cardíaco. A obesidade atinge negativamente o sistema nervoso simpático exacerbando-o o que acaba desencadeando uma série de modificações fisiológicas negativas no indivíduo. Quando analisadas as respostas cárdicas durante e após o exercício físico notam-se alterações em obesos sendo necessário um maior cuidado na hora de prescrever exercícios para essa população. Entretanto, com o decorrer do tempo, o exercício físico irá alterar de forma positiva os aspectos fisiológicos do obeso, melhorando as respostas cardíacas.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, 2018.
Aparece na Coleção:Educação Física



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons