Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/19019
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_AmandadeFreitasMeireles.pdf909,11 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Efeito da fotodegradação artificial em lâmina de madeira de mogno (Swietenia macrophylla King) tratada com um produto de acabamento
Outros títulos: Artificial photodegradation effect on wooden mogno blade (Swietenia macrophylla King) treated with a finishing product
Autor(es): Meireles, Amanda de Freitas
Orientador(es): Gonçalez, Joaquim Carlos
Coorientador(es): Paula, Marcella Hermida de
Assunto: Madeira
Mogno
Data de apresentação: 2017
Data de publicação: 15-Jan-2018
Referência: MEIRELES, Amanda de Freitas. Efeito da fotodegradação artificial em lâmina de madeira de mogno (Swietenia macrophylla King) tratada com um produto de acabamento. 2017. 36 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Engenharia Florestal)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: O mogno (Swietenia macrophylla King) é uma espécie nativa da região amazônica e por sua madeira de qualidade é utilizada para diversos fins. O objetivo do trabalho foi simular o processo de envelhecimento artificial a partir da fotodegradação em lâminas de madeira de mogno lixadas e tratadas com cera (produto selante e impermeabilizante). Para avaliação deste processo, foram utilizadas as técnicas de colorimetria CIELAB 1976 e da rugosidade superficial da madeira em cada ciclo de tratamento. As amostras foram submetidas apenas ao lixamento e ao lixamento com cera de carnaúba a ciclos de radiação ultravioleta (UV) até perfazer um total de 456 horas de irradiação e 60ºC, de acordo com norma Cool Whites. A cada ciclo as amostras foram retiradas da câmara para realização de medições de cor e de rugosidade. A cor da superfície das lâminas foram feitas pelo espectrofotômetro Color Eye – XTH- X-rite acoplado a um microcomputador e a rugosidade realizada por meio do equipamento rugosímetro Surftest SJ-401, da marca Mitutoyo. A espécie de Swietenia macrophylla King sofre alterações significativas da cor ao longo do tempo de exposição; do marrom avermelhado para o vermelho escuro. O tratamento realizado com cera de carnaúba foi significativo na ação selante e impermeabilizante quando comparada a testemunha e a lixada, apesar de não ser perceptível a olho nu. A rugosidade da superfície da lâminas de mogno quando analisadas paralelamente não sofreram diferenças significativas estatisticamente em todos os tipos de tratamento.
Abstract: Mogno (Swietenia macrophylla King) is a native species from Amazon region and because of the quality of its wood, this species is used for various purposes. The aim of the present study was to simulate the artificial aging process by photodegradation on sanded and waxed (sealant and waterproofing product) wooden mogno blades. To evaluate this process, CIELAB 1976 colorimetry and surface roughness of wood techniques were used in each cycle. The samples were only submitted to sanding and sanding with carnaúba wax to cycles of ultraviolet (UV) radiation until reaching a total of 456 hours of irradiation and 60ºC according to the Cool Whites standard. In each cycle, the samples were removed from the chamber to perform color and roughness measurements. The color of the surface of the blades were done by spectrophotometer Color Eye – XTH – X-rite coupled to a microcomputer, and the roughness measurements were done by the Surftest SJ-401 roughness equipment, from Mitutoyo brand. Swietenia macrophylla King species undergoes significant color changes over the exposure time; from reddish brown to deep red. The sealant and waterproofing action with carnaúba wax treatment was significant when compared to the control and sanded samples, although it is not perceptible to the naked eye. Surface roughness of wooden mogno blade when analyzed in parallel did not suffer statistically significant differences in all types of treatment.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Departamento de Engenharia Florestal, 2017.
Aparece na Coleção:Engenharia Florestal



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons