Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/18018
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_KleydianeAguiarBernardes_tcc.pdf946,18 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Perfil do consumidor de alimentos orgânicos no campus Darcy Ribeiro – UnB
Autor(es): Bernardes, Kleydiane Aguiar
Orientador(es): Joaquim, Maísa Santos
Assunto: Hábitos alimentares
Alimentos orgânicos
Data de apresentação: Ago-2017
Data de publicação: 25-Out-2017
Referência: BERNARDES, Kleydiane Aguiar. Perfil do consumidor de alimentos orgânicos no campus Darcy Ribeiro – UnB. 2017. 57 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão de Agronegócios)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Este trabalho teve como objetivo apresentar as mudanças dos consumidores em seus hábitos alimentares, tendo como foco o crescente consumo dos alimentos orgânicos dentro da Universidade de Brasília – UnB, buscando identificar as principais motivações e limitações que fazem as pessoas adquirem ou não esses alimentos. A pesquisa foi de caráter descritivo e exploratório, e para a sua execução foram aplicados 304 questionários com estrutura fechada, posteriormente os dados foram coletados e analisados de forma qualitativo-quantitativa. Na pesquisa foram abordados temas em que buscou identificar a frequência de consumo, levando em consideração fatores como renda, grau de escolaridade, e percepções a respeito dos alimentos orgânicos. Foi possível identificar que com 56,5% o gênero feminino é o maior consumidor de alimentos orgânicos, e que a maior faixa etária com 78,8% foi composta por jovens entre 17 a 24 anos o que está diretamente associado pelo local de aplicação da pesquisa. O principal motivo apontado para preferir consumir os alimentos de origem orgânica foi à preocupação com a saúde que foi evidenciada por 51,5% dos respondentes. O fator que mais leva as pessoas a “não” consumirem nenhum produto orgânico foi o preço elevado, apontado por 28,9% dos entrevistados. E o alimento mais consumido pelos entrevistados são as verduras com 31,5%. Desta forma pode-se concluir que com a demanda cada vez maior por alimentos que sejam mais saudáveis, é importante que a UnB dê mais espaço para a comercialização desses alimentos, pois mesmo as mulheres ainda representarem a maior parcela do público consumidor de alimentos orgânicos, esse cenário tem se tornado cada vez mais igualitário, pois ambos os gêneros têm buscado uma alimentação mais saudável, independentemente do preço ser considerado bem mais elevado.
Abstract: The mainful on this project was show changing on the consumer’s food habits, doing a research that could demonstrate why people consume or not organic food, evincing motivations and restrictions that lead people consume this kind of food, focous on the University of Brasília – UnB increase consuption of organics. A descriptive and exploratory feature was used, 304 closed structure questionnaries with data analyzed with a qualitative-quantitative scheme composed the reaserch. The rummage was made of themes that could display the frequency of organic’s consume and perceptions that people have about them. Coefficients like financial and schoolar incomes were addopted to compose it. Successful conclusions as 56,5% femeale gender and 78,8% youngs between 17 and 24 years old being main consumers could be showedbecouse of the direct association with the place where the reaserch was made. 51,5% answer that prefers organic’s, because of healty, while 28,9% don’t consume any organic food due to high prices. Finnally, vegetables are the most consumed organic food, with 31,5% votes. In this way, UnB have to increase the organic’s market whereas the high demand regardless of the high price and seeing that despite woman be the largest consumer the picture have becoming egalitarian with men.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2017.
Aparece na Coleção:Gestão do Agronegócio



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons