Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/17362
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_DanielaKetlynDeSouza_tcc.pdf1,28 MBAdobe PDFver/abrir
Título: A experiência e as estratégias das mulheres ciganas com o nascimento dos seus filhos
Autor(es): Souza, Daniela Ketlyn Porto de
Orientador(es): Montagner, Maria Inez
Assunto: Ciganos
Pré-natal
Humanização dos serviços de saúde
Sistema Único de Saúde (Brasil)
Data de apresentação: 29-Nov-2016
Data de publicação: 11-Jul-2017
Referência: SOUZA, Daniela Ketlyn Porto de. A experiência e as estratégias das mulheres ciganas com o nascimento dos seus filhos. 2016. 86 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Ceilândia-DF, 2016.
Resumo: O acompanhamento do pré-natal tem como objetivo assegurar o bom desenvolvimento da gestação oportunizando o parto seguro de um recém-nascido saudável, sem impactos para a saúde materna, buscando preparar a mulher para a maternidade, abordando as alterações próprias da gestação. Informações históricas até os dias de hoje que abordam os ciganos no Brasil são escassos, enviesados e distorcidos pela interpretação dos informantes e dos próprios historiadores. População predominantemente agrafia, suas origens estão pautadas em lendas, mitos e poesias, que são transpassadas pela oralidade. Para o atendimento no serviço público de saúde é preciso que apresente o Cartão do Sistema Único de Saúde – SUS, partindo desse pressuposto, o presente trabalho apresentará as experiências de cinco mulheres ciganas de etnia calon, com idades entre 22 e 54 anos, moradoras de Sobradinho, Distrito Federal, com o Sistema de Saúde durante o nascimento de seus filhos. Como referencial teórico foram utilizados os conceitos de fenomenologia e experiências proposto por Schutz, assim como o método de estratégias de Michael Bury e as concepções e conhecimentos de Valente sobre ciganos. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que utilizará de conhecimentos empíricos e científicos, onde a coleta de dados se deu por meio de entrevista semiestruturada. Apenas uma participante afirma ter realizado o pré-natal em uma de suas gestações, as demais foram esporadicamente e uma disse nunca ter ido. O conceito de saúde para essas mulheres se baseia na ausência de doenças e o Sistema Único de Saúde é caracterizado como um cartão magnético, e o que elas mais desejam é serem atendidas no SUS como elas são: ciganas.
Abstract: The purpose of prenatal follow-up is to ensure the successful development of gestation by providing safe delivery of a healthy newborn with no impact on maternal health, seeking to prepare the woman for motherhood, addressing the gestational changes. Historical information to date that address gypsies in Brazil are scarce, skewed and distorted by the interpretation of the informants and the historians themselves. Population predominantly agraphy, its origins are based on legends, myths and poetry, which are pierced by orality. . In order to attend the public health service, it is necessary to present the Card of the Unified Health System - SUS, based on this assumption, the present work will present the experiences of five gypsy women of ethnic Calon, aged between 22 and 54 years, living in Sobradinho, Federal District, with the Health System during the birth of their children. As a theoretical reference, the concepts of phenomenology and experiences proposed by Schutz, as well as the method of strategies of Michael Bury and the conceptions and knowledge of Valente about gypsies were used. This is a qualitative research, which will use empirical and scientific knowledge, where the data collection took place through a semi-structured interview. Only one participant claims to have performed prenatal care in one of her pregnancies, the others have been sporadically and one said never to have gone. The concept of health for these women is based on the absence of diseases and the Unified Health System is characterized as a magnetic card, and what they most desire is to be seen in the SUS as they are: gypsies.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, 2016.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons