Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/17339
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_GabrielaLauraSchaffer_tcc.pdf2,31 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Sexualidade na gestação : uma perspectiva de atenção integral à saúde da mulher
Autor(es): Schäffer, Gabriela Laura
Orientador(es): Griboski, Rejane Antonello
Assunto: Sexualidade
Mulheres grávidas - sexualidade
Mulheres - comportamento sexual
Data de apresentação: 2-Dez-2016
Data de publicação: 10-Jul-2017
Referência: SCHÄFFER, Gabriela Laura. Sexualidade na gestação: uma perspectiva de atenção integral à saúde da mulher. 2016. 40 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: INTRODUÇÃO: A sexualidade humana é uma forma de comunicação e de relacionamento entre as pessoas, através dela são expressos desejos, ideais e sentimentos, que são vivenciados de diversas maneiras e apresentam diversos tipos de resultados. OBJETIVOS: Investigar e compreender como é vivenciada a sexualidade feminina no período gestacional. Especificamente, compreender o conhecimento das mulheres com relação ao tema da sexualidade durante o período gestacional; e identificar se os profissionais de saúde, durante o atendimento às mulheres, abordam o tema da sexualidade durante o período gestacional. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo de abordagem quali-quantitativa, descritivo e transversal, que utilizou a aplicação do Questionário de Sexualidade na Gestação (QSG - UDESC), previamente validado e público. O QSG é um instrumento semiestruturado, constituído de duas partes, e que contém questões abertas e fechadas. Ele aborda questões relacionadas à frequência, desejo e práticas sexuais durante a gestação. Além do QSG, foi utilizado o procedimento de Entrevista em Profundidade. Os dados coletados foram então submetidos à análise no Excel, e ao método de Análise de Conteúdo de Lawrence Bardin. RESULTADOS: Os resultados encontrados envolvem relatos de diminuição das atividades sexuais, principalmente no primeiro e terceiro trimestres, sendo que essa diminuição possui diversas causas, incluindo enjoos, cansaço e desconfortos. Observou-se também relato de aumento do desejo sexual, principalmente no segundo trimestre. A maioria dos relatos analisados descreveram a falta de comunicação entre os profissionais de saúde e as mulheres e casais, com relação a sexualidade na gestação e tudo que o tema abarca. Segundo as mulheres, os profissionais focam apenas no aspecto fisiológico da gestação. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Como conclusão, observa-se que a sexualidade é uma característica muito particular e que deve ser lidada de maneira individual com cada mulher ou casal. Ambos precisam estar em sincronia para que a sexualidade seja vivenciada de maneira plena. Muitas vezes, para que isso aconteça, é necessário que aquele casal tenha acesso à um profissional de saúde qualificado, com informações corretas, atualizadas e cientificamente baseadas, onde possam sanar suas dúvidas e curiosidades com relação ao tema. Sendo assim, observa-se que a base do ensino desses profissionais precisa sofrer modificações, para que os mesmos possam lidar com a sexualidade vivenciada pelas mulheres e pelo casal, antes e durante o período gestacional, de maneira adequada.
Abstract: INTRODUCTION: Human sexuality is a form of communication and relationship between people, a way of expressing desire, ideals and feelings that are experimented in several ways and that result in several different outcomes. OBJETIVES: Investigate and comprehend how female sexuality is experienced during pregnancy. Specifically, comprehend the level of information women have, related to sexuality during pregnancy; and identify if health care professionals, during prenatal consults, approach the subject of sexuality during pregnancy. METHODOLOGY: This is a quali-quantitative, cross-sectional and descriptive study that used a Survey about Sexuality during Pregnancy (QSG – UDESC), previously validated and public. The QSG is a semi-structured instrument, composed of two parts, and contains open and closed questions. It addresses questions related to frequency, desire and sexual practices during pregnancy. Besides the QSG, in-depth interviews were also used. The data collected was then, submitted to analysis in Excel and to the method of content analysis by Lawrence Bardin. RESULTS: The results found suggest reports of decrease in sexual activity, especially during the first and third trimesters, and that decrease can be from a number of causes, such as nausea, discomfort and tiredness. However, reports of increase in sexual desire were also observed, especially during the second trimester. Most part of the data analyzed described the lack in communication between health care professionals and women and couples, regarding sexuality during pregnancy, and everything that it involves. According to the participants, health care professionals focus only on the physiological aspects of pregnancy. FINAL CONSIDERATIONS: in conclusion, it is observed that sexuality is a very unique characteristic and it must be handled in an individual way with each women or couple. Both need to be in synch for it to be fully experienced. Oftentimes, for that to happen, it is necessary that the couple have access to a qualified health care professional, with correct up-to-date and scientifically underlined information, so they are able to ease their doubts and curiosities about the subject. Therefore, it is noticeable that changes need to be made in the education bases of the health care professionals, so they can deal with the sexuality experienced by women and couples, during pregnancy, in a proper way.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Enfermagem, 2016.
Aparece na Coleção:Enfermagem



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons