Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/17294
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_ManelisseCoelhoDoNascimento_tcc.pdf576,72 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Memórias do grupo de gestantes e casais grávidos : projeto de extensão da Universidade de Brasília
Outros títulos: Memories of the group of pregnant women and pregnant couples : extension project of the University of Brasília
Autor(es): Nascimento, Manelisse Coelho Moura do
Orientador(es): Griboski, Rejane Antonello
Assunto: Grupos sociais
Gravidez
Educação em saúde
Parto (Obstetrícia)
Data de apresentação: 7-Dez-2016
Data de publicação: 29-Jun-2017
Referência: NASCIMENTO, Manelisse Coelho Moura do. Memórias do grupo de gestantes e casais grávidos: projeto de extensão da Universidade de Brasília. 2016. 60 f., il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Introdução: O Grupo de gestantes é um espaço rico em socialização, que compartilha uma linguagem comum onde é viabilizado aos participantes acolhimento, respeito e especialmente, compreensão. O foco do cuidado prestado no grupo é promover o empoderamento e o autocuidado, possibilitando à mulher gestante, ao casal grávido e ao acompanhante um reconhecimento do processo de gestar, parir e maternar de forma consciente, natural e segura. Objetivo Geral: Descrever a memória das gestantes, casais grávidos, puérperas e colaboradoras(es) que participaram do Projeto de Extensão em Ação Contínua Promoção da Saúde Sexual e Reprodutiva: grupo de gestantes e casais grávidos do Hospital Universitário de Brasília, no período de 1998-2015. Metodologia: Trata-se de um estudo qualitativo que utilizou a técnica da história oral para registrar fatos vivenciados e relatados nas entrevistas, a partir do acesso à memória/lembranças das(os) participantes por meio da análise de conteúdo para o tratamento dos dados. Resultados e Discussão: Participaram da pesquisa 20 pessoas entre gestantes, casais grávidos e colaboradoras, os quais que relataram sua história de participação no grupo de gestantes do HUB, onde o conhecimento se deu através de indicação de amigas, profissionais e internet. Em relação às representações do grupo na vivência do parto, as(os) entrevistadas(os) responderam que desmistificação dos medos, aprendizado e segurança geram empoderamento, acolhimento e suporte emocional para a criação de vínculo com o(a) filho(a). O grupo acolheu muitas mulheres e casais que buscavam informações sobre o processo fisiológico de gestar e parir, os tipos de partos e as tecnologias usadas na assistência ao parto. Frente às contribuições para mudanças no pensar a gestação, parto e para a vida, as(os) participantes da pesquisa informaram que encontraram orientações necessárias para ter uma boa gestação e parto respeitoso, em que puderam transformar pensamentos e hábitos, favorecendo o processo de humanização em toda a conduta. Considerações Finais: O grupo de gestantes é um ambiente propício para o compartilhar vivências e questionamentos, reduzindo ansiedades, e experiência pessoais, além de favorecer o acesso à informação, o acolhimento, o empoderamento das mulheres para serem respeitadas, com qualidade e humanização. A(O) enfermeira(o), por ser o elo entre as gestantes, deve adquirir uma postura flexível, empática, humanizada, baseada no conhecimento cientifico, a fim de esclarecer as dúvidas e direcionando-as à reflexão sobre as formas de parir. Dessa maneira, é imprescindível e emergente articular a constituição e criação de novos grupos educativos, nos serviços de saúde, a partir de metodologias ativas para promover a autonomia, segurança, cidadania e tranquilidade às mulheres, casais grávidos e famílias em todas as fases do ciclo gravídico-puerperal.
Abstract: Introduction: The Group of pregnant women is a space rich in socialization, which shares a common language where participants are made welcome, respect and especially, understood. The focus of the care provided in the group is to promote empowerment and self-care, enabling the pregnant woman, the pregnant couple and the companion to recognize the process of gestating, giving birth and maternal in a conscious, natural and safe way. General Objective: To describe the memory of pregnant women, pregnant women, puerperal women and women who participated in the Extension Project in Continuous Action Promotion of Sexual and Reproductive Health: a group of pregnant women and pregnant couples of the Hospital Universitário de Brasília, in 1998 -2015. Methodology: This is a qualitative study that used the oral history technique to record facts that were experienced and reported in the interviews, based on access to the memory of the participants through content analysis for the data treatment. Results and Discussion: Twenty people participated in the study among pregnant women, pregnant couples and collaborators, who reported their history of participation in the group of pregnant women in the HUB, where the knowledge was given through the indication of friends, professionals and the internet. Regarding the representations of the group in the experience of the childbirth, the interviewed answered that demystification of the fears, learning and security generate empowerment, reception and emotional support for the creation of bond with the child. The group welcomed many women and couples who sought information on the physiological process of gestation and calving, the types of births, and the technologies used to assist childbirth. Faced with contributions to changes in thinking about gestation, childbirth and life, the participants of the research reported that they found orientation necessary to have a good gestation and respectful childbirth, in which they were able to transform thoughts and habits, favoring the process of humanization in all conduct. Final Considerations: The group of pregnant women is an environment conducive to share experiences and questions, reducing personal anxieties and experience, as well as favoring access to information, welcoming, empowering women to be respected, with quality and humanization. The nurse, because it is the link between pregnant women, must acquire a flexible, empathic, humanized posture based on scientific knowledge in order to clarify the doubts and direct them to reflect on the ways of giving birth. In this way, it is essential and emergent to articulate the constitution and creation of new educational groups in health services, using active methodologies to promote autonomy, security, citizenship and tranquility for women, pregnant couples and families in all phases of the cycle Pregnancy-puerperal.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Departamento de Enfermagem, 2016.
Aparece na Coleção:Enfermagem



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons