Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/15261
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_DanieladeOliveiraMota.pdf237,95 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Ambiente domiciliar e influências no desenvolvimento do prematuro
Outros títulos: Home environment and influences on development of premature
Autor(es): Mota, Daniela de Oliveira
Orientador(es): Silveira, Aline Oliveira
Coorientador(es): Pontes, Tatiana Barcelos
Assunto: Ambiente domiciliar
Prematuros
Crianças - desenvolvimento
Data de apresentação: 2015
Data de publicação: 22-Dez-2016
Referência: MOTA, Daniela de Oliveira. Ambiente domiciliar e influências no desenvolvimento do prematuro. 2015. [15] f. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Enfermagem)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: Introdução: O desenvolvimento infantil corresponde ao ganho progressivo de competências nas dimensões física, cognitiva, afetiva e sociocultural. Os primeiros anos de vida da criança são essenciais para o desenvolvimento e o nascimento prematuro é fator de risco. A neuroplasticidade, que permite a regulação emocional, a adaptação do comportamento e as habilidades, é vulnerável por causa da imaturidade. A exposição a ambientes estressantes pode ser fator adicional de comprometimento enquanto que intervenções adequadas durante períodos sensíveis na sua maturação podem favorecer o desenvolvimento bem sucedido. O ambiente domiciliar é o principal contexto da criança nos primeiros anos de vida e influencia fortemente seu desenvolvimento. Objetivos: Traçar o perfil de lactentes prematuros com idade corrigida de 0 a 4 meses e verificar a influência do ambiente domiciliar no seu desenvolvimento. Metodologia: Foi realizado estudo de cunho descritivo e inferencial, transversal, de abordagem quantitativa. Para a coleta de dados utilizou-se as os instrumentos Teste de triagem de DENVER II e Inventário HOME. Os dados foram analisados pelo método estatístico descritivo e inferencial, por meio de frequência, porcentagem, média e desvio-padrão. Resultados/Discussão: Avaliou-se 23 lactentes. A presença de estímulos favoráveis ao desenvolvimento foi baixa em 69,4% dos domicílios. O desenvolvimento foi avaliado como suspeito em 43,5% dos lactentes. Os dados relativos ao estímulo ambiental não mostraram associação significativa com o desenvolvimento cognitivo. A reduzida amostra e sua homogeneidade inviabilizaram o uso de técnicas que possibilitassem a identificação de relações causais entre as variáveis investigadas. Conclusões: A relação entre o estímulo do ambiente domiciliar e o desenvolvimento infantil ainda precisa ser melhor esclarecida, principalmente na prematuridade.
Abstract: Introduction: Child development corresponds to the progressive gain skills in physical , cognitive, emotional and socio-cultural dimensions. The first years of a child's life are critical for the development and premature birth is a risk factor. Neuroplasticity , which allows for emotional regulation , behavioral adaptation and skills , is vulnerable because of immaturity. Exposure to stressful environments can be added factor of commitment while appropriate interventions during sensitive periods in their maturation can favor the successful development. The home environment is the child’s main context in early years and strongly influences the development. Objectives: To know the profile of preterm infants attending in a university hospital between 0-4 months of corrected age and to verify the influence of family environment on cognitive development. Methods: A cross-sectional study and quantitative and inferential design methods were used. DENVER II and HOME assessments were applied in the home environment. Data were analyzed by descriptive statistical method , by means of frequency , percentage, average and standard deviation .Results / Discussion: 23 infants participated in the study. The presence of favorable stimulus to development was low in 69,4% of homes. 43.5% of infants had the test DENVER valued as suspect. Data relating to environmental stimuli showed no significant association with cognitive development. The reduced sample and its homogeneity made it impossible to use techniques that enabled the identification of causal relations between such variables investigated. Conclusions: The Relationship between the stimulus of home environment and cognitive development still must be better clarified, especially in prematurity. Keywords: home environment, child development, premature
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Curso de Graduação em Enfermagem, 2015.
Aparece na Coleção:Enfermagem



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons