Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/15183
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_VanessaAndreaDeSouzaCarnevale_tcc.pdf953,41 kBAdobe PDFver/abrir
Título: O elo entre saúde coletiva e mental : a função do sanitarista na execução de boas práticas na atenção psicossocial do Distrito Federal
Autor(es): Carnevale, Vanessa Andréa de Souza
Orientador(es): Silva, Érica Quinaglia
Assunto: Saúde mental
Saúde mental - assistência
Sanitarista
Cuidados de saúde
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 6-Dez-2016
Referência: CARNEVALE, Vanessa Andréa de Souza. O elo entre saúde coletiva e mental: a função do sanitarista na execução de boas práticas na atenção psicossocial do Distrito Federal. 2016. 60 f., il. Monografia (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi o de mostrar a importância do papel do sanitarista na realização de programas de (re)inserção de pessoas com transtornos mentais em centros de convivência e cultura, Centros de Atenção Psicossocial e demais serviços de uma rede da qual a comunidade faça parte. Para a sua constituição, foram realizadas entrevistas com os profissionais de um dos serviços ofertados no Estado de Goiás, o Programa de Atenção Integral ao Louco Infrator (PAILI). Nesse contexto, é ressaltada a importância do papel do sanitarista não apenas no planejamento, na (re)formulação e na implementação de políticas públicas e ações de saúde, como também, e por conseguinte, na desinstitucionalização das pessoas com transtornos mentais. O sanitarista pode (e deve) atuar na realização de programas de (re)inserção dessa população em centros de convivência e cultura, Centros de Atenção Psicossocial e demais serviços de uma rede da qual a comunidade faça parte. Em última análise, a execução de boas práticas na Atenção Psicossocial intenta efetivar o que está preconizado nas Leis nº 8.080/1990 e nº 10.216/2001, que resguardam a atenção à saúde como dever do Estado e direito de todos os cidadãos, entre eles as pessoas com transtornos mentais.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, 2016.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons