Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/14304
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2016_TamiresPriscillaMarquesFernandes.pdf1,32 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise da agenda governamental sobre práticas integrativas e complementares em saúde no âmbito do SUS
Autor(es): Fernandes, Tamires Priscilla Marques
Orientador(es): Andrade, Priscila Almeida
Assunto: Práticas Integrativas e Complementares (Saúde)
Promoção da saúde
Sistema Único de Saúde (Brasil)
Data de apresentação: 2016
Data de publicação: 24-Ago-2016
Referência: FERNANDES, Tamires Priscilla Marques. Análise da agenda governamental sobre práticas integrativas e complementares em saúde no âmbito do SUS. 2016. 74 f., il. Monografia (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2016.
Resumo: Esse estudo aborda as Práticas Integrativas e Complementares (PIC), técnicas terapêuticas que proporcionam prevenção, promoção e recuperação da saúde a partir de mecanismos naturais que contemplam o ser humano em sua totalidade. O objetivo desse estudo consistiu em descrever e analisar a retrospectiva do marco regulatório e das prioridades políticas relacionadas às PIC no SUS no período de 2002 a 2015. O método baseou-se na análise de conteúdo dos instrumentos técnico-políticos diante a fase de formulação da agenda governamental e os resultados consistiram na priorização da fitoterapia sob o reflexo da medicalização, restrição quanto à atuação dos profissionais do SUS nas PIC, negligência de PIC relacionadas às áreas emocionais e psicoespirituais, necessidade de pesquisa e intercâmbio das experiências vivenciadas. A partir do mapeamento e da análise conclui-se que as prioridades das PIC necessitam ser otimizadas quanto aos profissionais por meio de qualificação com formação continuada, cursos, pós-graduações e matérias obrigatórias na grade curricular em PIC, ampliação do quadro de profissionais, quanto as práticas entende-se que precisam ter suas prioridades valorizadas na mesma proporção, que haja inserção de mais PIC na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), divulgação e estímulo além de ter seu objetivo de integralidade retomado.
Abstract: This study addresses the Integrative and Complementary Practices (PIC), therapeutic techniques that provide prevention, health promotion and recovery from natural mechanisms that include the human being in its entirety. The aim of this study was to describe and analyze the retrospective of the regulatory framework and policy priorities related to PIC in SUS from 2002 to 2015. The method was based on content analysis of the technical and policy instruments on the formulation phase of government agenda and the results consisted in the prioritization of herbal medicine under the reflection of medicalization, restrictions on the performance of SUS professionals in PIC, PIC of negligence related to the emotional and psycho-spiritual areas, need for research and exchange of experiences lived. From the mapping and analysis it is concluded that the priorities of the PIC need to be optimized as professionals through qualification with continuing education, courses, postgraduate courses and compulsory subjects in the curriculum in PIC, expansion of professional staff, as practices is understood that need to have their priorities valued in the same proportion, there is inclusion of more PIC in the National Integrative and Complementary practices Policy (PNPIC), dissemination and encouragement in addition to its goal of completeness resumed.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Graduação em Saúde Coletiva, 2016.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons