Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/12640
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2015_MariaAliceMayerdosSantos.pdf1,63 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Panorama dos institutos nacionais de ciência e tecnologia da área da saúde : potenciais para a pesquisa e desenvolvimento (P&D) de produtos estratégicos para o SUS
Autor(es): Santos, Maria Alice Mayer
Orientador(es): Andrade, Priscila Almeida
Assunto: Sistema Único de Saúde (Brasil)
Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia ( INCTs)
Pesquisa e desenvolvimento
Saúde - pesquisa e desenvolvimento
Data de apresentação: 2015
Data de publicação: 28-Mar-2016
Referência: SANTOS, Maria Alice Mayer. Panorama dos institutos nacionais de ciência e tecnologia da área da saúde: potenciais para a pesquisa e desenvolvimento (P&D) de produtos estratégicos para o SUS. 2015. 145 f., il. Monografia (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2015.
Resumo: Atualmente a pesquisa e desenvolvimento (P&D) em saúde no Brasil representa 30% do esforço científico do país. Essas relações têm crescido e o Sistema único de Saúde tem um papel estratégico como indutor dessas parcerias como no caso das parcerias público-privadas (PPPs). A inter-relação entre a universidade, centros de pesquisas e empresas é essencial para promover uma expansão tecnológica na fase de P&D e para que o conhecimento que foi produzido se resulte em produtos disponíveis no mercado e acessíveis, com potenciais de aprimorar as ações de vigilância a saúde e a prestação de serviços na rede SUS. Essas inter-relações devem ser estimuladas através de programas que fomentam projetos de P&D, como também a mobilização e agregação de redes de pesquisa em nível nacional e internacional e também estimula a parceria entre a universidade e a empresa, como é o caso dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia da área da saúde (INCTs- Saúde). Trata-se de um estudo de caso, em que o universo é os 39 INCTs da área de Saúde. Este estudo tem o marco temporal do período de 2008 a outubro de 2015, caráter exploratório, com a natureza quantitativa, foram utilizadas fontes secundárias, cujo procedimento de coleta de dados foi baseado nos registros encontrados nas páginas eletrônicas de cada INCT da área da Saúde. O seguinte estudo tem como objetivo responder a seguinte pergunta guia: Qual a contribuição dos INCTs-Saúde para a pesquisa e desenvolvimento de produtos estratégicos para o SUS? Partindo dessa pergunta, mapeamos os 39 INCTs-Saúde distribuídos nacionalmente, cada um com projetos voltados para um tema específico da área da saúde e identificamos um total de 242 produtos tecnológicos produzidos entre eles reagentes, antígenos e recombinantes de vacinas para doenças negligênciadas, novos fármacos, criação de hardware e software, próteses e órteses de titânio entre outros e também foi identificado o total de 112 patentes. Por fim o estudo descreve as parcerias entre os INCTs-Saúde e empresas nacionais com um total de 28 colaboradores e lista o total de 175 instituições e empresas parceiras internacionalmente dando-se ênfase para parcerias com países dos EUA, Reino Unido, Argentina e entre outros. O presente estudo nos traz a reflexão sobre a necessidade de se preservar esse Programa levanto em conta a sua magnitude, a sua contribuição pontualmente para a geração, desenvolvimento e incorporação de novos produtos tecnológicos na rede SUS e aumento da colaboração no avanço cientifíco, tecnológico e inovativo no Brasil. __________________________________________________________________________ ABSTRACT
Currently, research and development (R & D) in health in Brazil represents 30% of scientific effort in the country. These relationships have grown and the only health system has a strategic role as a promoter of these partnerships as in the case of public-private partnerships (PPPs). The interrelation between universities, research centers and business is essential to promote technological expansion in the R & D phase and that the knowledge that has been produced to result in products available and affordable, with potential to improve surveillance actions health and provision of services in the public health system. These inter-relationships should be encouraged through programs that foster R & D projects, as well as the mobilization and aggregation of research networks at national and international level and also encourages partnership between universities and industry, such as the National Institutes Science and health technology (INCTs- Health). It is a case study, in which the universe is 39 INCTs of Health. This study has the timeframe of 2008 to October 2015, exploratory, with quantitative, secondary sources were used, whose data collection procedure was based on the records found in the web sites of each INCT the Health area The following study aims to answer the following question guide:. What is the contribution of INCTs-Health for research and development of strategic products SUS? From this question, we mapped 39 INCTs-Health distributed nationally, each with projects focused on a specific topic of health and identified a total of 242 technological products produced including reagents, antigens and recombinant vaccines for neglected diseases, new drugs , creation of hardware and software, titanium prostheses and orthoses and among others also identified a total of 112 patents. Finally, the study describes partnerships between INCTs-health and domestic companies with a total of 28 employees and lists the total of 175 institutions and partner companies internationally giving emphasis to partnerships with the countries USA, UK, Argentina and etc. . This study brings us to reflect on the need to preserve this program raise regard to its magnitude, its contribution on time for the generation, development and incorporation of new technological products in the public health system and increased collaboration in scientific advancement, technological and Innovative in Brazil.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Saúde Coletiva, 2015.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons