Utilize este link para identificar ou citar este item: https://bdm.unb.br/handle/10483/11537
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_PatriciaMagnadeAraujo.pdf658,32 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Caracterização dos óbitos infantis, cujas mães foram portadoras de Infecção do Trato Urinário (ITU) na gestação, Ceilândia-DF, 2013
Autor(es): Araújo, Patrícia Magna de
Orientador(es): Escalda, Patrícia Maria Fonseca
Coorientador(es): Silva, Rony José da
Assunto: Mortalidade infantil
Infecções urinárias
Recém-nascidos - doenças
Data de apresentação: 2014
Data de publicação: 8-Dez-2015
Referência: ARAÚJO, Patrícia Magna de. Caracterização dos óbitos infantis, cujas mães foram portadoras de Infecção do Trato Urinário (ITU) na gestação, Ceilândia-DF, 2013. 2014. 71 f., il. Monografia (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2014.
Resumo: A mortalidade infantil tem sido considerada um importante indicador da situação de saúde e da qualidade das ações de saúde de uma população, devido à vulnerabilidade de menores de um ano à sobrevivência. A mortalidade infantil nas ultimas décadas teve uma grande redução em todo o país o que pode ser explicado pelas mudanças ocorridas nas condições de saúde no Brasil. A redução das doenças infecciosas e parasitárias, melhoria da qualidade de vida e queda da fecundidade, aliadas aos avanços tecnológicos tiveram grande impacto sobre a mortalidade e a morbidade na infância. Essa redução da mortalidade infantil não correspondeu ao período neonatal, que passou a ser responsável pela maioria dos óbitos infantis. Nos países em desenvolvimento os fatores relacionados às afecções perinatais estão diretamente relacionadas com os altos índices de mortalidade infantil. Entre os fatores relacionados às causas de afecções perinatais está a Infecção do Trato Urinário (ITU) da gestante. É nessa perspectiva que esta pesquisa teve como objetivo caracterizar os óbitos infantis, em menores de um ano cujas mães foram portadoras de ITU. A pesquisa caracteriza-se por um estudo descritivo e retrospectivo no HRC/Regional de Saúde de Ceilândia/DF, junto ao Comitê de Prevenção e Controle dos Óbitos Infantis Fetais (CPCOIF) responsáveis pela investigação desses óbitos. As fontes de coleta de dados foram a declaração de óbito, as fichas de investigação do óbito infantil utilizada pelo CPCOIF e o prontuário eletrônico (TRAKCARE). As variáveis estudadas foram epidemiológicas, sociais e demográficas. O período estudado foi o ano 2013. O processamento de dados ocorreu no software EPINFO/OMS e SPSS-versão 19 para a realização de uma análise descritiva univariada. Os resultados mostraram um Coeficiente de Mortalidade Infantil de 17/1000 NV no ano de 2013 na Ceilândia/DF, 38% (n=37) das mães que perderam seus filhos apresentaram ITU, a prematuridade este presente em 67,5% (n= 72) dos óbitos e 72% (n= 89) apresentaram baixo peso ao nascer. Com os resultados encontrados no estudo ficou notório a magnitude das mortes neonatais preveníveis, da prematuridade, do baixo peso ao nascer, da falta de acompanhamento do pré-natal e da alta incidência da ITU, que dentro do grupo das afecções perinatais, chama a atenção para a complexidade do quadro epidemiológico da mortalidade infantil. __________________________________________________________________________ ABSTRACT
The child mortality rates have been considered an important indicator of health quality and the quality of the health care actions in a population, due to the vulnerability of children under one year of survival. In the last decades the child mortality rates dropped all over the country which can be explained by the changes that took place in Brazil’s health condition. Reduction of infectious and parasitic diseases, improvements on life quality and low birth rates, allied with technological advances have taken a huge impact on mortality and morbidity on children. This change in child mortality rates did not corresponded to the neonatal period, which became responsible for most child deaths. In developing countries the factors related to perinatal conditions are directly related with high child mortality rates. Among the factors related to perinatal conditions there is the urinary tract infection (UTI) on pregnant. It is by this point of view that this research has the objective of characterize child deaths, in one year minors with which the mothers were UTI carriers. The research characterize itself by a descriptive and retrospective study in the HRC/Regional of health in Ceilândia/DF, with the committee of fetal child deaths control and prevention (CFCDCP) responsible for the investigation of these deaths. The data collection fonts were the death declaration, the child death investigation files used by the CFCDCP and the eletronic records (TRAKCARE). The studied variables were epidemiological, social and demographic. The studied period was the year of 2013. The dada processing was peformed by the the software EPINFO/OMS and SPSS-version 19 to the realization of and univariate descriptive analysis. The results show a CMI of 17/1000 NV on the year of 2013 on Ceilândia/DF, 38% (n=37) of the mothers that lost their children presented UTI, the prematurity is present in 67,5% (n=72) of deaths and 72%(n= 89) presented low weight at birth. With the result found in the study its notorious the magnitude of preventable neonatal deaths, of prematurity, of low weight at birth, of the lack of prenatal accompaniment and the high incidence of UTI, that inside the group of perinatal conditions, draws attention to the complexity of the child death epidemiological picture.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Graduação em Saúde Coletiva, 2014.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons