Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/9528
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_CleciaMachadoCerqueira.pdf538,91 kBAdobe PDFver/abrir
Título: A contribuição da psicomotricidade em crianças com Síndrome de Down
Autor(es): Sousa, Clécia Machado Cerqueira de Afetal
Orientador(es): Santos, Janaína de Araújo Teixeira
Assunto: Down, Síndrome de
Capacidade motora nas crianças
Data de apresentação: 2014
Data de publicação: 30-Jan-2015
Referência: SOUSA, Clécia Machado Cerqueira de Afetal. A contribuição da psicomotricidade em crianças com Síndrome de Down. 2014. 66 f., il. Monografia (Licenciatura em Educação Física)—Universidade de Brasília, Piritiba-BA, 2014.
Resumo: A síndrome de Down é uma anormalidade genética e ocasiona diversas alterações físicas e biológicas que acarretam um atraso no desenvolvimento motor do indivíduo. Os fatores limitantes do quadro sindrômico implicam na restrição de alguns aspectos do desenvolvimento motor e interacional, os quais refletem no esquema corporal do sujeito e na esfera proprioceptiva, sendo, portanto, fator de intervenção profissional no âmbito da estimulação educativa. Diante desse contexto o objetivo dessa pesquisa foi analisar o desenvolvimento das habilidades motoras fundamentais em indivíduos com síndrome de Down através da habilidade do correr e do chutar. Utilizei a pesquisa descritiva qualitativa do tipo revisão bibliográfica e desse modo constatou-se que os aspectos que favorecem o desenvolvimento motor e as necessidades e limitações dos portadores de síndrome de Down podem ser trabalhados através das características inerentes da prática da atividade física. Verificou-se que diversos autores apontam que a Educação Física, instiga a execução dos mais variados movimentos e ainda, o trabalho de repetição o que favorece a autocorreção e uma maior fixação da aprendizagem do movimento. Com ampliação da exploração e opções de movimentos a pessoa com síndrome de Down torna-se apta a reconhecer seu espaço, ritmo, direções e a reconhecer as partes do seu corpo configurando seu corpo no espaço pela estruturação de atividades físicas estimulada. Concluí-se que a pratica de atividades físicas pode-se focar o trabalho em grupo, a expressão corporal e a exploração dos mais variados movimentos, além de contar com elementos como o lúdico, jogos e brincadeiras e o ritmo, os quais favorecem a ludicidade da intervenção e ao mesmo tempo, agucem o seu domínio psicomotor.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, 2014. Curso de Licenciatura em Educação Física a Distância.
Aparece na Coleção:Educação Física



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons