Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/7877
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2014_EnirPereiraGoncalves.pdf785,21 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Dificuldades de aprendizagens dos educandos da EJA no município de Carinhanha-BA na visão dos professores
Autor(es): Gonçalves, Enir Pereira
Orientador(es): Corrêa, Rosângela Azevedo
Assunto: Educação de Jovens e Adultos (EJA)
Aprendizagem
Distúrbios da aprendizagem
Alfabetização
Data de apresentação: 2014
Data de publicação: 18-Jul-2014
Referência: GONÇALVES, Enir Pereira. Dificuldades de aprendizagens dos educandos da EJA no município de Carinhanha-BA na visão dos professores. 2014. 74 f., il. Monografia (Licenciatura em Pedagogia)—Universidade de Brasília, Universidade Aberta do Brasil, Carinhanha-BA, 2014.
Resumo: Esta pesquisa trata-se sobre a Educação de Jovens e Adultos (EJA) dos dois segmentos do Ensino Fundamental em três escolas - Escola Municipal Antônio Pereira da Silva, Escola Municipal Dindinha Jove e Escola Municipal José Braz Cavalcante - todas elas situadas na sede do município de Carinhanha-BA. O objetivo geral deste trabalho foi conhecer as dificuldades de aprendizagem apresentadas pelos educandos da EJA nas escolas a partir da visão dos professores, bem como identificar as estratégias de ensino utilizadas pelos professores para minimizar tais problemas. Trata-se de uma pesquisa de campo exploratória de abordagem qualitativa, realizada por meio de coleta de dados estatísticos nas escolas e entrevistas com os professores do ensino fundamental da EJA. Na fundamentação teórica nos baseamos nos autores Freire, Bueno, Souza e Cagliari que nos ajudaram a discorrer sobre a trajetória da EJA no Brasil, caracterizar o educador e o educando da EJA, explicar o processo de alfabetização e as dificuldades de aprendizagens na EJA. A partir da pesquisa foi possível perceber que as dificuldades dos educandos da EJA do município de Carinhanha se devem a vários fatores como a falta de acompanhamento pedagógico, pois nas escolas não possui um coordenador para acompanhar os professores dessa modalidade; falta de recursos didáticos pedagógicos; falta apoio da Secretaria Municipal de Educação e parceria com outras secretarias; falta formação continuada para os professores e a infraestrutura precária nas escolas. Como a EJA no município ainda é trabalhada como programa, os educandos dessa modalidade não são incluídos nos projetos escolares. Os educandos apresentam desmotivação para leitura e escrita, assim como, falta de tempo para as atividades extraclasse porque eles não têm tempo para estudar devido ao trabalho. Esse ponto nos chama atenção sobre a necessidade de pensarmos sobre a exploração da mão-de-obra a que jovens e adultos trabalhadores de camadas populares estão submetidos no mercado de trabalho no que diz respeito a cargas horárias extensas, à baixa remuneração e o esforço físico despendido que são condições que dificultam a permanência na escola.
Informações adicionais: Monografia (Licenciatura em Pedagogia)—Universidade de Brasília, Universidade Aberta do Brasil, Faculdade de Educação, Curso de Pedagogia à distância, 2014.
Aparece na Coleção:Pedagogia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons