Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/7216
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_LusineteOliveiraViana.pdf178,61 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Estudos sobre aquisição da estrutura passiva por crianças
Autor(es): Viana, Lusinete Oliveira
Orientador(es): Magalhães, Marina Maria Silva
Assunto: Aquisição de linguagem
Crianças - linguagem
Língua portuguesa - gramática
Linguística
Data de apresentação: 2013
Data de publicação: 17-Mar-2014
Referência: VIANA, Lusinete Oliveira. Estudos sobre aquisição da estrutura passiva por crianças. 2013. 35 f., il. Monografia (Licenciatura em Letras Português)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Resumo: A proposta deste trabalho é a de analisar um dos muitos fenômenos correntes na aquisição da linguagem: a aquisição das sentenças passivas tema que representa um grande desafio para os pesquisadores da área de Linguística, ciência que investiga os fenômenos relacionados à linguagem e que busca determinar os princípios e as características que regulam as estruturas das línguas (STAMPA, 2009). Muitas são as pesquisas realizadas para buscar compreender como esse fenômeno acontece. Entre as pesquisas desenvolvidas no ramo da aquisição da linguagem, estudos relevantes tratam da aquisição do desenvolvimento da estrutura da sentença passiva pelas crianças. Este trabalho representará uma reflexão acerca das pesquisas já existentes sobre esse tema, um fenômeno interessante já que muitos dos trabalhos apresentados relatam que a aquisição da sentença da passiva ocorre tardiamente. Durante este trabalho será elucidada a diferença entre duas sentenças passivas: as reversíveis e as irreversíveis, sendo a primeira aquela que, segundo as pesquisas realizadas, tendem a ser as mais complexas na interpretação pelas crianças, enquanto as irreversíveis apresentam uma certa facilidade para a compreensão. Outra vertente que será apontada neste estudo é interpretação do motivo pelo qual as crianças compreendem melhor os verbos agentivos do que os não agentivos e qual a importância deles para a compreensão da sentença passiva. Além desses, outros aspectos gramaticais relevantes serão considerados em relação à sua influência na aquisição das passivas.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, 2013.
Aparece na Coleção:Letras - Português



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons