Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/5908
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_NattachaLidianyFernandes.pdf350,74 kBAdobe PDFver/abrir
Título: A relação professor-aluno em turmas de aceleração : a importância da afetividade
Autor(es): Santos, Nattacha Lidiany Fernandes dos
Orientador(es): Oliveira, Cynthia Bisinoto Evangelista de
Assunto: Qualidade (Educação)
Afetividade
Professores e alunos
Data de apresentação: 23-Jul-2013
Data de publicação: 26-Ago-2013
Referência: SANTOS, Nattacha Lidiany Fernandes dos. A relação professor-aluno em turmas de aceleração: a importância da afetividade. 2013. 28 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Naturais)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2013.
Resumo: O histórico da educação brasileira é marcado por altos índices de reprovação e evasão escolar, o que motivou a criação do Programa de Aceleração da Aprendizagem, política que se configurou como uma estratégia de combate ao fracasso escolar. O programa foi adotado e implantado em 2000 pelo Governo do Distrito Federal, sendo remodelado em 2012, quando foi denominado Programa para a Correção da Distorção Idade/Série (CEDIS). Seu objetivo é corrigir o problema da defasagem idade-série, acelerando de um a dois anos os estudantes que estão fora do fluxo escolar. Entendendo que no programa de aceleração a relação professor-aluno é de suma importância, procurou-se neste trabalho investigar a relação professor-aluno com especial atenção na afetividade e seu papel na promoção da aprendizagem. Para tanto, foram utilizados três instrumentos para a construção dos dados: observação, entrevista e questionário. Participaram da pesquisa dois professores que atuam em turmas de aceleração em escolas públicas de Planaltina-DF e seus respectivos estudantes. Constatou-se que tanto os professores quanto os discentes apontaram a necessidade de mudanças no programa de modo a melhorar a qualidade de ensino; apontam necessidades de mudanças nos recursos pedagógicos que são disponibilizados para o programa e, também, na adequação dos conteúdos relativos a duas séries/anos que são trabalhados em apenas um ano. Quanto à afetividade, os participantes da pesquisa conseguem ver que ela está presente na relação professor-aluno, porém apresentam dificuldades para defini-la e associá-la com a apropriação de conhecimento. Os resultados mostram que não só o programa de aceleração precisa ser revisado, como também se faz necessário sensibilizar os professores quanto à importância da afetividade na relação professor-aluno, conscientizando-os que ela pode contribuir para a aprendizagem dos educandos e também para o seu resgate e emancipação.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Licenciatura em Ciências Naturais, 2013.
Aparece na Coleção:Ciências Naturais



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons