Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/5643
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2013_IasmineLorenaSilvadaJesus.pdf755,24 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Organizações Sociais de Saúde : relato de experiências em gestão hospitalar em três estados brasileiros
Autor(es): Jesus, Iasmine Lorena Silva de
Orientador(es): Marques, Carla Pintas
Assunto: Hospitais - administração
Parceria público-privada
Associações sem fins lucrativos
Data de apresentação: 8-Mar-2013
Data de publicação: 12-Jul-2013
Referência: JESUS, Iasmine Lorena Silva de. Organizações Sociais de Saúde: relato de experiências em gestão hospitalar em três estados brasileiros. 2013. 92 f. il. Monografia (Bacharelado em Saúde Coletiva)—Universidade de Brasília, Brasília, 2013.
Resumo: As organizações sociais de saúde (OSS) na gestão de unidades hospitalares surgem no Brasil a partir de uma necessidade de reorganização da administração pública, por vezes burocrática e insuficiente para atender a demanda de unidades hospitalares, inicialmente no estado de São Paulo e em seguida em outros estados da Federação. O intuito deste trabalho é compreender e identificar de que forma as parcerias entre os setores público e privado tem ocorrido em três diferentes hospitais com modalidade de gestão por organização social de saúde. A pesquisa caracteriza um trabalho qualitativo, realizado a partir de entrevistas abertas junto a três gestores de unidades hospitalares distintas geridas por diferentes organizações sociais de saúde localizadas nos estados de São Paulo, Pernambuco e no Distrito Federal. Para que fosse possível compreender o funcionamento da gestão hospitalar por OSS alguns aspectos foram considerados relevantes dentre eles o modo como os estados adotaram o modelo de gestão por OSS e como estabelecem os contratos de gestão, as principais facilidades e dificuldades desse modelo. Os gestores entrevistados ainda fizeram considerações sobre a legislação, a fiscalização e o relacionamento das unidades hospitalares com os órgãos de governo de cada estado. As dificuldades e limitações na contratação ou aquisição de recursos indispensáveis, sendo humanos, físicos ou materiais, trazem ao gerenciamento de unidades de saúde de administração direta complicações e dificuldades expressivas capazes de impedir o funcionamento e o gerenciamento adequados com os padrões de qualidade desejados. A procura por parcerias entre os setores público e privado, através das organizações sociais de saúde, delega ao setor privado a administração dos recursos públicos em unidades de demanda e atendimento do próprio Sistema Único de Saúde, sem prejuízo a população e com garantia de cumprimento dos contratos estabelecidos. As experiências encontradas neste trabalho são destaque de importante processo de alternativas à gestão pública e da importância de se registrar as experiências dos serviços. ____________________________________________________________________________ ABSTRACT
Social health organizations (OSS) in the management of hospital units starts in Brazil, initially in the state of Sao Paulo and then followed by other federate states, to assist in the need of reorganizing public administration, often bureaucratic and insufficient to respond to the demands of hospital units. This paper aims to understand and identify how partnerships between private and public sectors have happened in three different hospitals under the management model of social health organization. Research is framed in quantitative work, developed after open interviews to three different managers of three different hospital units, located in the states of Sao Paulo, Pernambuco and Distrito Federal. To facilitate the understanding of hospital management by the OSS, some aspects were considered relevant, among them the manner by which each state adopted the management model by the OSS and established the management contracts, the odds and ends of this model. The managers interviewed also added opinions regarding legislation, supervision and the relationship of hospital units with the government agencies of each state. The difficulties in acquiring human, physical or material resources bring such hard complications to the direct administration of health units, that can impede the proper operation and management with the quality standards requested. The pursue of partnerships between public and private sectors, through the social health organization, assigns to private sector the management of public resources in units of demand and treatment of the Unique System of Healh (SUS) itself, without any harm to the population and ensuring the fulfillment of the established contracts. The experiences aroused in this paper are of great importance to the process of bringing alternatives to public administration and to the register of service experiences.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, Curso de Graduação em Saúde Coletiva, 2013.
Aparece na Coleção:Saúde Coletiva - Campus UnB Ceilândia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons