Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/4625
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_KamyllaNovaisNevesMendonca.pdf738,89 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Conhecimento e utilização de equipamentos de tecnologia assistiva pelos terapeutas ocupacionais do Distrito Federal
Autor(es): Mendonça, Kamylla Novais Neves
Orientador(es): Meneses, Kátia Vanessa Pinto de
Coorientador(es): Almeida, Pedro Henrique Tavares Queiroz de
Assunto: Tecnologia assistiva
Terapia ocupacional
Deficientes
Data de apresentação: 4-Out-2012
Data de publicação: 19-Mar-2013
Referência: MENDONÇA, Kamylla Novais Neves. Conhecimento e utilização de equipamentos de tecnologia assistiva pelos terapeutas ocupacionais do Distrito Federal. 2012. 51 f., il. Monografia (Bacharelado em Terapia Ocupacional)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Resumo: Introdução: Este trabalho é uma contribuição ao campo da Tecnologia Assistiva (TA) e da Terapia Ocupacional sobre a atuação dos terapeutas ocupacionais no Distrito Federal. Tecnologia Assistiva é um termo, utilizado para identificar os recursos e serviços que objetivam promover a funcionalidade, melhoria da autonomia, da independência, da qualidade de vida e a inclusão social de pessoas com deficiência, incapacidade ou mobilidade reduzida. Considerando que a TA no Brasil e seus processos de avaliação, prescrição e concessão ainda se encontram em fase de estruturação, são poucos os estudos que retratam a realidade brasileira em relação ao conhecimento e utilização de TA pelos profissionais. Objetivos: verificar o conhecimento e o uso de TA por terapeutas ocupacionais vinculados ao Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Distrito Federal - CREFITO 11. Materiais e métodos: Esta pesquisa se caracteriza por um estudo exploratório com abordagem quantitativa. Para a coleta dos dados foi elaborado um questionário semiestruturado autoaplicado contendo questões pertinentes a temática abordada, encaminhado via email para cada participante no período de junho e julho de 2012. Resultados: Dos 200 questionários enviados, 53 foram respondidos. Os resultados apontam para uma população jovem de terapeutas ocupacionais que buscam qualificação profissional através dos cursos de especialização. A maioria afirmou ter conhecimento sobre a Tecnologia Assistiva, porém relatou não utilizá-las em sua prática clínica. As justificativas mais citadas para a não utilização de recursos de Tecnologias Assitivas foram a escassez de recursos financeiros para a aquisição ou confecção dos recursos e a falta de preparo de alguns profissionais para avaliar, prescrever e acompanhar o uso das Tecnologias Assistivas. Os recursos de TA mais utilizados na prática clínica são os auxílios para atividades de vida diária, seguido por produtos para auxílio de mobilidade e de comunicação e recursos de acessibilidade para computador. Conclusão: Percebe-se que a utilização da TA pelo terapeuta ocupacional ainda é restrita no Distrito Federal, sendo necessário traçar estratégias para que a TA possa vir a contribuir para a melhoria da autonomia e independência das pessoas.
Abstract: This work is a contribution to the field of Assistive Technology (AT) and Occupational Therapy on the role of occupational therapists in the Federal District. Assistive technology is a term used to classify features and services that aim to promote functionality, improving autonomy, independence, quality of life and social inclusion of people with disabilities assessment, prescription and concession are still in a structural stage and there are few studies that depicts the reality of knowledge and use of AT by Brazilian professionals. Objectives: verify the knowledge and use of AT by occupational therapists associated to Regional Council of Physiotherapy and Occupational Therapy of the Federal District - CREFITO 11.Materials and methods: This research is characterized by an exploratory study with a quantitative approach. To collect the data the authors designed a self-applied questionnaire sent via email to each participant during June and July 2012. Results: Of the 200 questionnaires sent, 53 were returned. The results point to a young population of occupational therapists who seek professional training through specialized courses. Most claimed to have knowledge about Assistive Technology, but reported not using them in their practice. The most cited reasons for non-use of Assistive Technologies resources were the shortage of financial resources for the acquisition or production and lack of preparation of some professionals to assess, prescribe and monitor the use of Assistive Technologies. At the most used AT devices were aids to daily living activities, followed by products to aid mobility communication and accessibility features for the computer. Conclusion: It is noticed that the use of AT by the occupational therapist is still very limited at Brazil Federal District it is necessary to design strategies that allow a major use of AT devices in order to contribute to improving the autonomy and independence of people with disabilities.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia, 2012.
Aparece na Coleção:Terapia Ocupacional



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons