Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/4270
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_MonicaCatalinaMongeFuentes.pdf801,36 kBAdobe PDFver/abrir
Título: O processo de internacionalização de uma construtora brasileira: o caso da OAS no mercado da Costa Rica
Autor(es): Monge Fuentes, Mónica Catalina
Orientador(es): Carvalho, José Márcio
Assunto: Globalização
Internacionalização de empresas
Indústria de construção civil - administração
Data de apresentação: 12-Set-2012
Data de publicação: 8-Jan-2013
Referência: MONGE FUENTES, Mónica Catalina. O processo de internacionalização de uma construtora brasileira: o caso da OAS no mercado da Costa Rica. 2012. 61 f., il. Monografia (Bacharelado em Administração)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Resumo: Nos dias atuais, é notável o fato de que as nações e os mais diversos mercados e empresas estão sendo afetados direta e indiretamente pela globalização, fazendo com que o tema internacionalização esteja cada vez mais em voga. O entendimento das variadas teorias acerca de internacionalização, os processos, assim como fatores motivantes e barreiras enfrentadas por organizações que optam pela expansão em terras internacionais, são objetos de estudos ao redor do mundo. O presente trabalho objetivou explicitar o processo de internacionalização da construtora brasileira OAS, buscando compreender a fundo como se deu a entrada no mercado da Costa Rica. Quanto à metodologia utilizada, diante dos dados apurados foi realizada análise qualitativa, sendo aplicadas entrevistas semi-estruturadas com o diretor da área de Relações Internacionais da construtora, e questionários respondidos pelo diretor operacional para América Central e o Caribe, e o gerente corporativo internacional. Observou-se, com base nas informações fornecidas pelos executivos, que um dos motivos mais fortes para a internacionalizacao da OAS foi o intuito de explorar potenciais oportunidades percebidas em países em desenvolvimento. Além disso, por meio dos dados recolhidos, também ficou evidente que a construtora estudada não considera a distância geográfica ou a diversidade de idiomas como fatores limitantes. Destaca-se ainda que diferenças culturas, a infraestrutura do país, capacidade logística,grau de desenvolvimento econômico, estabilidade econômica e governo são considerados fatores intervenientes que dificultam e criam barreiras à empresa no seu processo de internacionalização. Por fim, foi possível constatar que a OAS tem tido sucesso no processo de internacionalização em inúmeros países e que, o que inclui a Costa Rica, aqui estudada, pois conta com uma localização estratégica e possui infraestrutura favorável em um mercado estável.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Administração, 2012.
Aparece na Coleção:Administração



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons