Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/3819
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2012_MariSato.pdf498,66 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Percepção do tempo e espaço pós-modernizados : um estudo da compressão espaço-tempo no Aeroporto Internacional de Brasília
Autor(es): Sato, Mari
Orientador(es): Ribeiro, Gustavo Sérgio Lins
Assunto: Espaço e tempo
Percepção temporal
Percepção espacial
Globalização
Data de apresentação: 13-Set-2012
Data de publicação: 20-Set-2012
Referência: SATO, Mari. Percepção do tempo e espaço pós-modernizados: um estudo da compressão espaço-tempo no Aeroporto Internacional de Brasília. 2012. 60 f., il. Monografia (Bacharelado em Ciências Sociais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2012.
Resumo: Este trabalho inicia-se com a discussão sobre a natureza social das categorias tempo e espaço, a partir da premissa de que a forma de senti-las e padronizá-las dependerá de valores e sentidos social e culturalmente constituídos. O tema central é a análise do fenômeno da compressão espaço-tempo e sua condição derivada de uma conjuntura globalizada com valores pautados por uma sociedade capitalista ocidental. Por se tratar de um fenômeno que tem a mobilidade e a velocidade proporcionada pelos meios de comunicação e de transportes como pontos centrais, escolhi o Aeroporto Internacional Presidente Juscelino Kubitschek de Brasília como local para desenvolver esta etnografia. Meus “nativos” foram viajantes em trânsito que participavam desse fluxo global. As técnicas utilizadas foram a observação direta e entrevista semi-estruturada. O objetivo foi levantar o tipo e o nível de expressão que o fenômeno de compressão espaço-tempo tinha na vida das pessoas, entendendo as razões pelas quais os entrevistados sentiam a existência da “aceleração” do tempo e “encolhimento” do espaço geográfico em suas vidas e suas consequências. A excesiva exposição às informações, a multiplicação de atividades e a velocidade das mudanças estavam entre as causas. Entre as consequências mais frequentes encontravam-se o stress, a falta de tempo, novos tipos de relacionamentos, quebra de preconceitos e outros. Os resultados apontam para a existência de particularidades na forma de processar essa nova realidade espaço-temporal em nível individual e em nível cultural, falando-se mesmo em formas “brasileiras” de vivenciá-la. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT
This work begins with a deliberation about the social nature of time and space categories starting from the premise that the way we feel and standardize them will depend on the values and meanings socially and culturally constituted. The main theme is the analyses of the time and space compression phenomenon and its condition derived from a globalized conjuncture which has values lined by a western capitalistic society. For being a phenomenon which has mobility and velocity provided by the communication and transportation means as main points, I chose the International Airport Juscelino Kubitschek President of Brasilia city to be the place to develop my ethnography. My “natives” were travelers who were in this global flux. The techniques used were direct observation and semi-structured interview. The goal was to set up the kind and the level of expression this phenomenon of time and space compression has had on people’s lives by understanding the reasons through which the interviewers feel the existence of the time “acceleration” and geographical space “reduction” in their lives and their consequences. The overwhelming exposition to information, the increasing amount of activities and the speed of changes were among these causes. Among the most reported consequences were the stress, lack of time, new patterns of relationships, the disruption of prejudices and so on. The results also point out to the existence of particularities on the processing way of this new time-space reality in both individual and cultural level, even speaking in Brazilian way of living it.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, 2012.
Aparece na Coleção:Ciências Sociais - Antropologia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons