Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/3681
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_GustavoPortellaMartins.pdf731,24 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Operações de bandas independentes : estudo de caso de bandas do Distrito Federal
Autor(es): Martins, Gustavo Portella
Orientador(es): Barbosa, Sheila Cristina Tolentino
Assunto: Bandas (Música)
Mercado fonográfico
Data de apresentação: 12-Dez-2011
Data de publicação: 5-Jun-2012
Referência: MARTINS, Gustavo Portella. Operações de bandas independentes: estudo de caso de bandas do Distrito Federal. 2011. 55 f. Monografia (Bacharelado em Administração)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Resumo: Tendo como pano de fundo o cenário atual da indústria fonográfica, com as modificações trazidas pelo surgimento nos últimos anos do formato MP3 e da internet banda larga, o presente estudo dispõe-se a descrever e analisar o modo de operação das bandas independentes. As inovações tecnológicas havidas fizeram com que houvesse uma perda significativa de poder por parte das grandes gravadoras e possibilitaram a abertura de um nicho de mercado para as chamadas bandas independentes, que até então atuavam à margem de todo o processo. O método utilizado foi o estudo de caso, realizado com quatro bandas de rock do Distrito Federal. Para isso, foram feitas entrevistas com essas bandas com o objetivo de descrever como essas bandas operam e quais os condicionantes dessas operações. Após a análise dos dados, foram destacados quais os fatores considerados como favoráveis e quais os considerados limitantes para a operação das bandas selecionadas. Concluiu-se que a facilidade de gravação proporcionada pelas inovações tecnológicas, a ampliação da internet banda larga e o surgimento das redes sociais como instrumento de disseminação são os fatores que mais favorecem as bandas independentes. Como fatores que limitam a operação dessas bandas foram encontrados a falta de possibilidade dos integrantes de ter a banda como principal atividade, fazendo com que o tempo dedicado a ela seja reduzido, a falta de estrutura dos locais onde essas bandas costumam se apresentar e a dificuldade de deslocamento dessas bandas para se apresentarem em outros Estados.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Administração, 2011.
Aparece na Coleção:Administração



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons