Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/3390
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_GlauciadeOliveira.pdf923,14 kBAdobe PDFver/abrir
Título: As percepções sobre o ser negro e as manifestações do preconceito racial pelos alunos do ensino médio
Autor(es): Oliveira, Gláucia de
Orientador(es): Cerqueira, Teresa Cristina Siqueira
Assunto: Racismo
Desigualdade social
Negros - educação
Relações raciais
Data de apresentação: 1-Jul-2011
Data de publicação: 26-Abr-2012
Referência: OLIVEIRA, Gláucia de. As percepções sobre o ser negro e as manifestações do preconceito racial pelos alunos do ensino médio. 2011. ix, 110 f. Monografia (Licenciatura em Pedagogia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Resumo: O presente trabalho procura mostrar qual a percepção dos adolescentes acerca do ser negro e quais são os mecanismos de manifestação do preconceito racial na escola. Para isso, o trabalho busca abordar no referencial teórico a conceituação e diferenciação de alguns termos usados no estudo das relações raciais, busca fazer um histórico das desigualdades sociais, econômicas, educacionais e ocupacionais a que os negros vêm sendo submetidos desde o final da escravidão, e também faz um apanhado geral da educação dos negros no Brasil, enfatizando aspectos mais relevantes. Por fim, são apresentadas as variadas formas de preconceito racial que encontramos na escola e como a mesma vem promovendo a perpetuação dessas práticas por meio do silêncio dos professores e agentes educativos diante de atitudes discriminatórias ocorridas no ambiente educativo. Foi utilizado para a pesquisa de campo o método exploratório descritivo, utilizando para a coleta de dados a técnica de grupo focai. A pesquisa trouxe vários aspectos relacionados ao orgulho de ser negro, à luta, superação, bem como às dificuldades, ao preconceito, à baixa auto-estima, o medo etc. Em síntese, pôde ser verificado nesta pesquisa que o silêncio instaurado na escola diante de atitudes discriminatórias tende a influenciar a percepção dos jovens diante do preconceito, mesmo sendo claro aos seus olhos os comportamentos de preconceito racial por meio de piadas e brincadeiras.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação, 2011.
Aparece na Coleção:Pedagogia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons