Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/3238
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_AlcioneAmorimGomesAmato.pdf602,58 kBAdobe PDFver/abrir
Título: O papel do professor de educação infantil e o processo ensino-aprendizagem de crianças inclusivas
Autor(es): Amato, Alcione Amorim Gomes
Orientador(es): Fernandes, Ana Claudia Rodrigues
Assunto: Educação de crianças
Educação inclusiva
Professores
Data de apresentação: 16-Abr-2011
Data de publicação: 4-Abr-2012
Referência: AMATO, Alcione Amorim Gomes. O papel do professor de educação infantil e o processo ensino-aprendizagem de crianças inclusivas. 2011. 55 f. Monografia (Especialização em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar)—Universidade de Brasília, Universidade Aberta do Brasil, Brasília, 2011.
Resumo: Este trabalho caracteriza uma reflexão resultante das investigações de vivências e experiências relacionadas ao trabalho de pesquisa sobre o papel do professor de educação infantil e o processo ensino-aprendizagem de crianças inclusivas. O objetivo geral deste foi verificar de que forma tem se desenvolvido o trabalho pedagógico, sob a perspectiva da inclusão, nos Centro Municipais de Educação Infantil e conveniados (CMEI/CEI), considerando-se o fazer pedagógico do processo de ensino-aprendizagem. O trabalho é resultado de uma intervenção dentro de um modelo qualitativa, pois é mais participativa e, portanto, menos controlável. Os participantes da pesquisa podem direcionar o rumo da pesquisa em suas interações com o pesquisador. O referido modelo foi escolhido, pois parte do princípio segundo o qual os sujeitos têm pontos de vista a serem considerados, realizam interpretações sobre a vida cotidiana. Em teoria, a inclusão tem sua relevância no desenvolvimento da criança na primeira etapa da Educação Básica. E podem contribuir para a efetivação do ensino e da aprendizagem. A pesquisa atendeu aos objetivos propostos, verificou-se que há necessidade de capacitação do docente para o benefício da educação inclusiva na educação infantil. Ressaltou a importância da capacitação e verificou a percepção dos professores perante a educação inclusiva. Confirmou-se a hipótese do despreparo dos docentes. Identificou-se o interesse em participar de cursos de capacitação, porém são secundários aos docentes entrevistados. Constatou-se que para efetivação da educação inclusiva, além das adaptações arquitetônicas e didáticas, também deve haver docentes preparados. O processo da educação inclusiva requer continuidade, motivando a criação de apoio aos profissionais e sistema de parceria com instituições que já possuem esses apoios, para desenvolver cursos, palestras e treinamentos. Entende-se que os docentes aceitam e estão dispostos a trabalhar com os alunos com necessidades especiais em sala de aula, todavia eles estão ansiosos em usar metodologias e materiais didáticos adequados à acessibilidade desses alunos. Deparou-se com um grande paradoxo, pois se percebe que, os professores têm convicção da importância de ser um pesquisador e que este precisa se qualificar para superar sua prática, ou seja, ao mesmo tempo em que eles afirmam esta necessidade de formação continuada, sua aplicação efetiva no cotidiano fica bem abaixo do esperado.
Informações adicionais: Monografia (especialização)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento, Programa de Pós-Graduação em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde, 2011. Curso de Especialização a Distância em Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar.
Aparece na Coleção:Desenvolvimento Humano, Educação e Inclusão Escolar



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons