Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/22910
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_HyanAlvarengaDeMoraes_tcc.pdf2,14 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Monóxido de carbono e material particulado na atmosfera de Brasília-DF : estudo preliminar das emissões veiculares e efeito do vento e da precipitação
Autor(es): Moraes, Hyan Alvarenga de
Orientador(es): Oliveira, Carlos Henke de
Assunto: Poluição
Gás como combustível
Combustíveis para motores
Monitoramento ambiental
Data de apresentação: 3-Mar-2017
Data de publicação: 14-Jan-2020
Referência: MORAES, Hyan Alvarenga de. Monóxido de carbono e material particulado na atmosfera de Brasília-DF: estudo preliminar das emissões veiculares e efeito do vento e da precipitação. 2017. 53 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Ambientais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: A poluição do ar tem causado cada vez mais problemas ao redor do mundo, trazendo danos à saúde da população mundial, tanto quanto aos ecossistemas. Uma das principais fontes de poluentes são os veículos, que em sua maioria usam combustíveis fósseis, emitindo diversos poluentes, seja por sua combustão incompleta ou por evaporação. Entre esses poluentes estão o monóxido de carbono (CO) e o material particulado (MP). Mesmo causando sérios problemas a saúde, esses poluentes não são devidamente monitorados em muitos lugares, Brasília sendo um desses. Devido à falta de monitoramento, esse trabalho tem como objetivo mapear a variação temporal de CO e MP, frente aos mecanismos geradores, tais como; intensidade do tráfego de veículos automotores, junto à modulação pelos semáforos; em caráter adicional, avaliando o regime dos ventos na determinação da concentração destes poluentes. Para alcançar o objetivo, foi utilizada uma sonda SAPHIRA, um equipamento composto por diversos sensores eletrônicos. O estudo foi feito em uma área comercial de Brasília, com características de cânion urbano e onde há um considerável fluxo de pessoas diariamente. A coleta de dados foi feita em janeiro de 2017, período de chuvas do Distrito Federal. Os resultados mostraram que as concentrações médias de CO e MP estão abaixo dos limites máximos recomendados, o que é um ótimo sinal para a saúde da população e dos ecossistemas. A média máxima encontrada para CO foi de 3,87 ppm e para MP; 7,75 μg/m³ e 2,73 μg/m³, para fino e grosso respectivamente. Devido à interferência da luz do sol no sensor fotoelétrico, o regime de abertura/fechamento dos semáforos não pode ser devidamente monitorado, impossibilitando a análise do seu papel sobre o aumento ou diminuição da concentração de CO e MP. Contudo, notou-se que o regime de ventos se mostra conectado à variação da concentração de poluentes, mostrando que o vórtice de vento, que normalmente é gerado em cânions, não afetou tanto a dispersão, enquanto o fluxo de veículos não mostrou uma grande relação com a concentração. Isso evidencia que os aspectos qualitativos da frota veicular estão associados às emissões.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Geociências, Instituto de Ciências Biológicas, Instituto de Química, Faculdade de Administração, Contabilidade, Economia, Departamento de Economia, Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2017.
Aparece na Coleção:Ciências Ambientais



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons