Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/22786
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_RubemStaciariniPuttiniMachado_tcc.pdf1,46 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Gasto energético durante e após o exercício intervalado de alta intensidade versus contínuo
Autor(es): Machado, Rubem Staciarini Puttini
Orientador(es): Molina, Guilherme Eckhardt
Coorientador(es): Fontana, Keila Elizabeth
Assunto: Exercícios físicos aeróbicos
Respiração
Exercícios físicos - aspectos fisiológicos
Data de apresentação: 11-Dez-2017
Data de publicação: 25-Nov-2019
Referência: MACHADO, Rubem Staciarini Puttini. Gasto energético durante e após o exercício intervalado de alta intensidade versus contínuo. 2017. 31 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Objetivo: O objetivo desse estudo foi comparar o efeito agudo do exercício contínuo de moderada intensidade (CONT) e intervalado de alta intensidade (HIIT) no gasto energético durante e após o exercício. Método: Um total de 32 voluntários, 17 homens e 15 mulheres com idade média de 22,3 ± 1,9 anos, completaram o estudo. Eles eram aparentemente saudáveis e considerados fisicamente ativos. A coleta de dados foi realizada durante três visitas ao laboratório com intervalo mínimo de 48 horas. Na primeira visita foram realizadas as medidas de estatura, massa corporal, percentual de gordura corporal, frequência cardíaca em repouso, VO2 de repouso, VO2max e a potência máxima no cicloergômetro. As próximas duas visitas foram ordenadas aleatoriamente, onde os participantes realizaram um protocolo de treinamento de alta intensidade intervalado (HIIT: 5 × 1:2 min 90% potência máxima e 50% potência máxima) ou então um protocolo de treinamento de moderada intensidade contínuo (CONT: 30 min a 40 a 59% da frequência cardíaca de reserva), ambos foram realizados em cicloergômetro. Antes de cada protocolo, os sujeitos permaneceram em uma posição sentada durante 5 minutos para medir o VO2 e a frequência cardíaca de repouso, e após o exercício, o gasto energético (kcal/min) foi medido durante 30 minutos também na posição sentada. Resultados: Quanto aos efeitos principais, observou-se que independente do gênero, o protocolo moderado CONT (265,2 ± 80,1 kcal) gastou mais energia comparado ao protocolo intervalado HIIT (143,7 ± 36,6 kcal) (p < 0,0001). Foi observado também que independente do protocolo de exercício, as mulheres gastaram menos energia (p < 0,001). Houve interação entre os fatores, isto é, homens e mulheres apresentaram respostas diferentes aos distintos tipos de exercício (p < 0,001). Os homens apresentaram gasto energético de repouso e durante o exercício contínuo (p < 0,05) e intervalado (p < 0,05) maiores comparado às mulheres (p < 0,05). Conclusão: O gasto energético total dos exercícios, independente do gênero, é maior durante uma sessão de CONT quando comparado ao HIIT. Ao final de quinze minutos de recuperação após a sessão de exercício, em ambos os protocolos, o gasto energético já havia retornado aos valores de repouso. E de acordo com os nossos dados, o protocolo intervalado de alta intensidade pode representar uma opção poupadora de tempo visto que promove resultados pós-exercício semelhantes a um protocolo contínuo de moderada intensidade de duração maior.
Abstract: Purpose: The purpose of this study was to compare the acute effects of continuous moderate intensity exercise (CONT) and high intensity interval training (HIIT) on energy expenditure during and after exercise. Methods: A total of 32 volunteers, 17 men and 15 women with a mean age of 22.3 ± 1.9 years, completed the study. Participants were apparently healthy and considered physically active. Data collection was performed during three visits to the laboratory with a minimum interval of 48 hours. For the first visit, measurements of height, body mass, body fat percentage, resting heart rate, resting VO2, VO2max, and maximum power in the cycle ergometer were performed. The next two visits were randomly ordered, where the participants performed a high intensity interval training protocol (HIIT: 5 × 1:2 min at 90% peak power and 50% peak power) or a continuous moderate intensity training protocol (CONT: 30 min at 40 to 59% of the heart rate reserve), both were performed in cycle ergometer. Prior to each protocol, subjects remained in a seated position for 5 minutes to measure baseline VO2 and heart rate. After the exercise, energy expenditure (kcal/min) was measured for 30 minutes in the seated position. Results: Regarding the main effects, it was observed that, regardless of sex, the moderate CONT protocol (265.2 ± 80.1 kcal) spent more energy compared to the HIIT protocol (143.7 ± 36.6 kcal) (p < 0.0001). It was also observed that, regardless of exercise protocol, women spent less energy than men (p < 0.001). There was an interaction between the factors, that is, men and women presented different responses to the different types of exercise (p < 0.001). The men had resting energy expenditure during the continuous exercise (p < 0.05) and interval (p < 0.05) and in the first five minutes of the recovery greater than the women (p < 0.05). Conclusion: The total energy expenditure of the exercises, regardless of gender, is higher during a CONT session when compared to HIIT. At the end of fifteen minutes of recovery after the exercise session, in both protocols, energy expenditure had returned to the baseline values. According to present data, the high intensity interval protocol may represent a time-saving alternative, since it promotes results similar to a continuous protocol of moderate intensity of greater duration.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, 2017.
Aparece na Coleção:Educação Física



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons