Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/22351
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2019_PauloSergioGoncalves_tcc.pdf764,3 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Análise junguiana de grafites como patrimônio artístico-cultural no interior de São Paulo
Autor(es): Gonçalves, Paulo Sergio
Orientador(es): Sacerdote, Helena Célia de Souza
Assunto: Grafite (Arte)
Patrimônio cultural
Psicologia junguiana
Data de apresentação: 2019
Data de publicação: 29-Ago-2019
Referência: GONÇALVES, Paulo Sergio. Análise junguiana de grafites como patrimônio artístico-cultural no interior de São Paulo. 2019. 43 f., il. Trabalho de Conclusão do Curso (Especialização em Educação e Patrimônio Cultural e Artístico)—Universidade de Brasília, São Paulo - SP, 2019.
Resumo: A monografia presente trata de uma análise psicológica junguiana de grafites na cidade de Guaíra-SP, como patrimônio cultural e artístico, por meio de uma pesquisa etnográfica em pontos urbanos da cidade. A problematização sugere que se a arte do grafite é passageira (LOPES, 2010), qual é a importância do grafite como patrimônio cultural e artístico para psique humana? A partir da análise da psicologia de Jung nessa vertente de arte urbana do grafite, constatou-se a representação do inconsciente coletivo com arquétipos anima e animus, (sendo a anima as características psicológicas femininas presentes na psique masculina, e o animus as características psicológicas masculinas presentes na psique da mulher), assim como o mito do herói presentes nas representações gráficas das etnias indígenas e da comunidade negra. Com isso, podemos afirmar que o grafite configura-se como patrimônio cultural e artístico; sendo este um agente de memória afetiva e cultural com a cidade, não somente para o desenvolvimento da cidadania de crianças e adolescentes, mas estimulando a sociedade a refletir como a arte do grafite pode ser carregada de símbolos que representam as vivências de um povo, suas histórias e suas lutas.
Abstract: The present monograph deals with a Jungian psychology analysis of graffiti in the city of Guaíra-SP, as cultural and artistic heritage, through an ethnographic research in already urban points. The problematization suggests that if the art of graphite is fleeting (LOPES, 2010), what is the importance of graphite as cultural and artistic patrimony for human psyche? From the analysis of Jung's psychology in this aspect of urban art of graphite, the representation of the collective unconscious with anima and animus archetypes was verified (being the anima the female psychological characteristics present in the masculine psyche, and the animus the masculine psychological characteristics present in the psyche of the woman), as well as the myth of the hero present in the graphic representations of the indigenous ethnic groups and the black community. With this, we can affirm that the graphite configures itself as cultural and artistic patrimony; being an agent of affective and cultural memory with the city, not only for the development of the citizenship of children and adolescents, but stimulating society to reflect how the art of graphite can be loaded with symbols that represent the experiences of a people, their stories and their struggles.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (especialização)—Universidade de Brasília, Instituto de Artes, Programa de Pós-Graduação em Arte, 2019. Curso de Especialização em Educação e Patrimônio Cultural e Artístico a distância. Polo Barretos - SP.
Aparece na Coleção:Educação e Patrimônio Cultural e Artístico



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons