Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/22106
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_LucasPadilhaVitoriano_tcc.pdf910,57 kBAdobe PDFver/abrir
Registro completo
Campo Dublin CoreValorLíngua
dc.contributor.advisorPivato, Ivo-
dc.contributor.authorVitoriano, Lucas Padilha-
dc.identifier.citationVITORIANO, Lucas Padilha. Efeitos na prole de fêmeas ovinas gestantes alimentadas experimentalmente com Poincianella pyramidalis Tul: relato de caso. 2018. 31 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Medicina Veterinária)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.pt_BR
dc.descriptionTrabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2018.pt_BR
dc.description.abstractA catingueira é uma planta típica da região nordeste, comum em áreas do bioma da caatinga. Seu nome cientifico é Poincianella pyramidalis Tul, porém é popularmente conhecida como pau-de-rato ou catinga de porco. É uma planta da família das leguminosas Leguminosae caesalpinioideae. É uma árvore decídua e de madeira considerada de média qualidade, muito utilizada para fazer cercas e uso de lenha pela população local. Suas folhas são consumidas pelos animais principalmente no período de seca, onde a oferta de alimento se encontra reduzida. No período chuvoso, suas folhas adquirem um odor desagradável, (de onde deriva o nome popular de catingueira), diminuindo sua palatabilidade e os animais evitam consumi-la. Quando administrada a a fêmeas gestantes causa perdas embrionárias e mal formações congênitas. Entretanto não foram realizados estudos para observar se ocorrem alterações em machos. No presente estudo foram avaliados 13 cordeiros filhos de mães que consumiram P. pyramidalis Tul durante a gestação, por um período de 80 dias. Os cordeiros foram acompanhados do nascimento até completarem em média 7 meses de idade (início da puberdade). Foi realizado o exame andrológico completo e depois os animais foram castrados. Os testículos foram medidos e pesados. Não foram observadas alterações significativa tanto no desenvolvimento quanto na função espermatogênica, não sendo possível afirmar que a P. pyramidalis Tul tem efeito negativos na esfera reprodutiva da prole masculina.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subject.keywordEspermatogênese em animaispt_BR
dc.subject.keywordOvino - reproduçãopt_BR
dc.subject.keywordCordeiro - alimentação e raçõespt_BR
dc.titleEfeitos na prole de fêmeas ovinas gestantes alimentadas experimentalmente com Poincianella pyramidalis Tul : relato de casopt_BR
dc.typeTrabalho de Conclusão de Curso - Graduação - Bachareladopt_BR
dc.date.accessioned2019-06-05T11:07:30Z-
dc.date.available2019-06-05T11:07:30Z-
dc.date.submitted2018-12-
dc.identifier.urihttp://bdm.unb.br/handle/10483/22106-
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.description.abstract1The catingueira is a typical plant of the northeast region, common in areas of the caatinga biome. Its scientific name is Poincianella pyramidalis Tul, however it is popularly known like rat-wood or pork catinga. It is a plant of the legume family Leguminosae caesalpinioideae. It is a deciduous tree and of considered wood of average quality, much used to make fences and use of firewood by the local population. Its leaves are consumed by animals mainly during the dry season, where the food supply is reduced. In the rainy season, its leaves acquire an unpleasant odor, (from where derives the popular name of catingueira), diminishing its palatability and the animals avoid to consume it. When administered to pregnant females it causes embryonic losses and poor congenital formations. However, no studies have been performed to see if changes occur in males. In the present study, 13 lambs of mothers who consumed P. pyramidalis Tul during gestation were evaluated for a period of 80 days. The lambs were followed from birth until they completed on average 7 months of age (beginning of puberty). The complete andrological examination was performed and the animals were then castrated. The testicles were measured and weighed. No significant changes were observed in both development and spermatogenic function, and it is not possible to affirm that P. pyramidalis Tul has negative effects on the reproductive sphere of the male offspring.pt_BR
Aparece na Coleção:Medicina Veterinária



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons