Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/21639
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_GabrielaBonetti.pdf856,25 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Endividamento municipal : uma análise em face da arrecadação própria e transferências intergovernamentais
Autor(es): Bonetti, Gabriela
Orientador(es): Fernandes, José Lúcio Tozetti
Assunto: Dívida pública
Arrecadação de tributos
Finanças municipais
Orçamento municipal
Data de apresentação: 2017
Data de publicação: 18-Mar-2019
Referência: BONETTI, Gabriela. Endividamento municipal: uma análise em face da arrecadação própria e transferências intergovernamentais. 2017. 71 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Contábeis)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017 .
Resumo: A Lei de Responsabilidade Fiscal tem como objetivo instituir regras de disciplina fiscal que visam reduzir o déficit público e limitar o montante da dívida pública. Dentre as medidas adotadas, cabe ressaltar o estabelecimento de limites para o endividamento. Entretanto, alguns gestores alegam que o limite fixado é inadequado, pois não considera as diferenças entre os municípios. Alguns estudiosos também alegam que foram transferidas aos municípios responsabilidades, sem levar em conta a capacidade arrecadatória individual. O objetivo deste trabalho é averiguar eventuais diferenças na arrecadação própria municipal entre os municípios endividados e os não endividados e se as transferências correntes intergovernamentais estão levando a um aumento do endividamento, provando, dessa forma, a hipótese do flypaper effect. Essa hipótese explana que as transferências intergovernamentais tendem à expansão de gastos ao invés de serem redistribuídas entre os contribuintes locais por meio da diminuição de impostos. Para isso, os dados municipais referentes ao ano de 2016 foram coletados e submetidos aos testes de médias e de medidas de tendências e de dispersão. Os resultados encontrados mostram que houve diferença na arrecadação entre os municípios endividados e os não endividados. Entretanto, foi observado que as transferências correntes intergovernamentais foram mais significativas para os municípios não endividados, sendo um provável fator para que esses municípios estejam enquadrados nos limites estabelecidos na Lei supramencionada.
Informações adicionais: Trabalho de conclusão de curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FACE), Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais (CCA), 2017.
Aparece na Coleção:Ciências Contábeis



Todos os itens na BDM estão protegidos por copyright. Todos os direitos reservados.