Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/21496
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_RaissaCurtoTochetto_tcc.pdf619,2 kBAdobe PDFver/abrir
Título: O papel da política fiscal na diminuição da desigualdade na América Latina no século XXI : os casos do Brasil, México e Uruguai
Autor(es): Tochetto, Raíssa Curto
Orientador(es): Flores, Fidel Irving Pérez
Assunto: América Latina - condições econômicas
Renda - distribuição - América Latina
Data de apresentação: 2018
Data de publicação: 21-Fev-2019
Referência: TOCHETTO, Raíssa Curto. O papel da política fiscal na diminuição da desigualdade na América Latina no século XXI: os casos do Brasil, México e Uruguai. 2018. 36 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Relações Internacionais)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: A América Latina vivenciou nas últimas décadas uma grande tendência de queda na desigualdade de renda, a partir de um consistente crescimento econômico e da adoção de políticas de distribuição de renda. Entretanto, ao analisarmos a distribuição de renda pelo topo da concentração, essa tendência de queda não se mantém e varia nos países da região. Dessa maneira, à luz da literatura recente sobre combate à desigualdade, buscamos entender o papel da política fiscal tributária na desigualdade latino-americana nas primeiras décadas do século XXI, através da comparação dos casos do Brasil, México e Uruguai quanto a políticas de distribuição de renda e políticas tributárias. Enquanto todos os casos apresentam políticas de distribuição de renda similares, as políticas fiscais variam. Brasil apresenta uma política tributária regressiva e estabilidade na distribuição de renda; o México implementou políticas variadas e não apresenta tendência clara quanto a mudança na desigualdade; e o Uruguai fez uma reforma fiscal progressiva e apresenta leve tendência de queda nos níveis de desigualdade. Entendemos então que, mesmo não sendo fator determinante na diminuição da desigualdade, a política tributária progressiva tem um papel importante no combate à concentração excessiva de renda.
Resumén: América Latina vivenció en las últimas décadas una gran tendencia de caída en la desigualdad de renta, a partir de un consistente crecimiento económico y de la adopción de políticas de distribución de renta. Entretanto, si analizarnos la distribución de renta por lo topo de la concentración, esa tendencia de caída no se mantiene y varia en los países de la región. De esa manera, de acordó con la literatura reciente sobre el combate a la desigualdad, buscamos entender el papel de las políticas fiscales tributarias en la desigualdad latinoamericana en las primeras décadas del siglo XXI, a través de la comparación de los casos de Brasil, México y Uruguay cuanto a las políticas de distribución de renta y políticas tributarias. Mientras todos los casos presenten políticas de distribución de renta similares, las políticas fiscales varían. Brasil presenta una política tributaria regresiva y estabilidad en la distribución de renta; México implementó políticas variadas y no presenta tendencia clara cuanto a el cambio en la desigualdad; y Uruguay hice una reforma fiscal progresiva y presenta una leve tendencia de caída en los niveles de desigualdad. Entendemos así que, mismo que no sea factor determinante en la diminución de la desigualdad, la política tributaria progresiva tiene un papel importante en el combate a la concentración excesiva de renta.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Instituto de Relações Internacionais, 2018.
Aparece na Coleção:Relações Internacionais - Graduação



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons