Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/21318
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2018_YuriDeFreitasVasconcelos_tcc.pdf1,3 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Deslocamentos por novas realidades : estudo da realidade virtual como instrumento de desenvolvimento social, econômico e turístico
Autor(es): Vasconcelos, Yuri de Freitas
Orientador(es): Tasso, João Paulo Faria
Assunto: Inovações tecnológicas
Inclusão social
Data de apresentação: 7-Dez-2018
Data de publicação: 5-Fev-2019
Referência: VASCONCELOS, Yuri de Freitas. Deslocamentos por novas realidades: estudo da realidade virtual como instrumento de desenvolvimento social, econômico e turístico. 2018. 66 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Turismo)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: A vivência turística, e todas as múltiplas experiências agregadas a partir dela, pressupõe, consensualmente, o deslocamento de indivíduos. Deslocar-se para a prática do turismo remete-se, por sua vez, à disponibilidade física e financeira dos demandantes. No entanto, públicos específicos – tais como indivíduos com limitações motoras (deficientes físicos, idosos, pacientes terminais etc.) e em situação de vulnerabilidade socioeconômica –, por vezes, reconhecem a vivência pelo turismo como algo inatingível diante de suas realidades. A presente pesquisa incentiva a reflexão sobre a relação entre inovação tecnológica e turismo, em prol da inclusão social e do desenvolvimento econômico. O seu objeto de pesquisa é a realidade virtual (RV), resultado de um processo de inovação tecnológica, concebida como instrumento de inclusão sociodigital na experiência turística, e como fonte de desenvolvimento econômico no âmbito do setor. A relevância deste estudo está na possibilidade futura de contribuição da realidade virtual como instrumento de aproximação entre os referidos públicos e a experiência turística desejada, auxiliando nos processos de reestabelecimento físico e mental, fomentando a inclusão socioeconômica, melhorando a imagem dos atrativos turísticos, proporcionando novas estratégias de comercialização por agências e operadoras de turismo, e promovendo o desenvolvimento econômico. O objetivo desta pesquisa é analisar as possibilidades de contribuição da realidade virtual como um instrumento de inclusão sociodigital e de desenvolvimento econômico no âmbito da experiência turística. Para tanto, realizou-se: pesquisa bibliográfica e documental, para melhor compreensão dos conceitos de “turismo de lazer”, “inovação tecnológica”, “realidade virtual” e “inclusão sociodigital”; pesquisa de campo, por meio de entrevistas semiestruturadas junto a três indivíduos representativos dos públicos específicos supracitados, e a um gestor de agência de turismo. As explicações teóricas evidenciaram que a realidade virtual, o turismo, a inclusão social e o desenvolvimento econômico se articulam no encontro da dinâmica inclusiva com a dinâmica econômica, duas constatações da pesquisa. Concluiu-se que, na prática, essa articulação ocorre nas diversas áreas de atuação da realidade virtual, tendo sido identificada nos cases de sucesso da realidade virtual na contemporaneidade. Concluiu-se, também, pelas percepções coletadas junto aos públicos específicos com limitações de deslocamento, que estes são sensíveis e receptivos à realidade virtual como instrumento de inclusão sociodigital. Concluiu-se, ainda e, conforme percepções do gestor de agências de turismo, que a realidade virtual pode se constituir em fonte de desenvolvimento econômico, não apenas como recurso de marketing de um modo geral, mas, especificamente, como prospecção e conquista de nichos de mercado. Por fim, as reflexões críticas sobre as potencialidades e as limitações da realidade virtual como recurso de inclusão social e de desenvolvimento econômico revelaram que a realidade virtual pode ter uma melhor receptividade junto a pessoas em situação orçamentária reduzida, que é mesmo a subjetividade dos públicos específicos que confere validade à realidade virtual como possibilidade de realização do turismo e que há possibilidade de as agências de turismo aderirem à questão social, ou avançar com ações já implementadas.
Abstract: The tourism experience, and all the multiple experiences aggregated from it, presupposes, consensually, the displacement of individuals. To move towards the practice of tourism refers, in turn, to the physical and financial availability of the tourists. However, specific public - such as individuals with motor limitations (disabled people, the elderly, terminally ill patients, etc.) and in situations of socioeconomic vulnerability - sometimes recognize the experience of tourism as something unattainable in face of their realities. This research encourages reflection on the relationship between technological innovation and tourism, in favor of social inclusion and economic development. Its object of research is virtual reality (VR), the result of a process of technological innovation, conceived as an instrument of socio-digital inclusion in the tourism experience, and as a source of economic development within the sector. The relevance of this study lies in the future possibility of contributing to virtual reality as an instrument for bringing together these publics and the desired tourist experience, assisting in the processes of physical and mental reestablishment, fostering socioeconomic inclusion, improving the image of tourist attractions, marketing strategies by tourism agencies and operators, and promoting economic development. The objective of this research is to analyze the possibilities of virtual reality contribution as an instrument of socio-digital inclusion and economic development within the tourism experience. In order to do so, it was carried out: bibliographic and documentary research, to better understand the concepts of "leisure tourism", "technological innovation", "virtual reality" and "sociodigital inclusion"; field research, through semi-structured interviews with three individuals representative of the specific publics mentioned above, and a tourism agency manager. The theoretical explanations showed that virtual reality, tourism, social inclusion and economic development are articulated in the encounter of the inclusive dynamics with the economic dynamics, two findings of the research. It was concluded that, in practice, this articulation occurs in the various areas of virtual reality, having been identified in the successful cases of virtual reality in contemporary times. It was also concluded by the perceptions gathered with the specific publics with limitations of displacement, that these are sensitive and receptive to virtual reality as an instrument of sociodigital inclusion. It was also concluded, according to the perceptions of the tourism agency manager, that virtual reality can be a source of economic development, not only as a marketing resource in general, but specifically as exploration and conquest of niches of the market. Finally, critical reflections on the potentialities and limitations of virtual reality as a resource for social inclusion and economic development have revealed that virtual reality can be more receptive to people in a reduced budget situation, and that the subjectivity of specific publics is what gives validity to the virtual reality as a possibility of tourism and that there is the possibility of tourism agencies to join the social issue, or to advance with actions already implemented.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Centro de Excelência em Turismo, 2018.
Aparece na Coleção:Turismo



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons