Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/2086
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2011_DeboraThaisCostaFreitas.pdf931,87 kBAdobe PDFver/abrir
Título: Inovação de produtos em subsidiárias : um estudo de caso na indústria automobilística
Autor(es): Freitas, Débora Thaís Costa
Orientador(es): Vargas, Eduardo Raupp de
Assunto: Indústria automobilística
Produtos novos
Engenharia de produção
Data de apresentação: 4-Jul-2011
Data de publicação: 21-Out-2011
Referência: FREITAS, Débora Thaís Costa. Inovação de produtos em subsidiárias: um estudo de caso na indústria automobilística. 2011. 89 f. Monografia (Bacharelado em Administração)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Resumo: Setores competitivos como o automobilístico buscam na inovação fonte sustentável de vantagem, uma vez que suas demandas já não são mais supridas com fatores estritamente ligados ao preço. Neste sentido, este trabalho propõe o estudo detalhado do setor, visando analisar, sob a perspectiva da administração, a gestão da inovação de produtos em uma subsidiária de multinacional da indústria automobilística. O problema inicial que norteou os pontos da pesquisa foi: como se dá a gestão de um projeto de inovação de produto no setor automobilístico em uma subsidiária de multinacional? Para alcançar esse objetivo, foi realizada uma pesquisa qualitativa nos setores de criação da subsidiária brasileira da General Motors. Os objetivos específicos do trabalho foram analisar, descrever e caracterizar as etapas e fatores que permitiram o desenvolvimento do veículo Agile, objeto particular do estudo de caso. A pesquisa, por sua vez, focou em seis categorias temáticas, a saber: tipos de inovação, gestão da inovação, barreiras e riscos à inovação, etapas de desenvolvimento, inovação no setor automobilístico e inovação em subsidiárias. Os resultados colhidos permitiram identificar algumas barreiras e limitações características ao setor, como a relação do trade-off, limitações da engenharia/ produção e gerenciamento de custos. Além disso, o veículo criado conseguiu seguir tendências do setor, como oferecer mais conforto (com vários itens de série, espaço interno e opcionais) a um preço de mercado. Em suma, os resultados da pesquisa demonstram que a General Motors do Brasil se classifica como subsidiária de relevância estratégica limitada, ou seja, possui grau de autonomia limitada, ao desenvolver uma gestão voltada para inovações sobre uma plataforma global de criação, além de seguir uma estratégia mundial de inovações incrementais, foco adotado pelo setor, como um todo.
Informações adicionais: Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Brasília, 2011.
Aparece na Coleção:Administração



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons