Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/20379
Título: Uso de um bioestimulante a base de aminoácidos na redução dos efeitos fitotóxicos de herbicidas e sua influência no desenvolvimento de Bemisia tabaci
Autor(es): Sousa, Miguel Alexandroni Cordova de
Orientador(es): Bastos, Cristina Schetino
Assunto: Alface - doenças e pragas
Mosca-branca
Data de apresentação: Dez-2017
Data de publicação: 10-Jul-2018
Referência: SOUSA, Miguel Alexandroni Cordova de. Uso de um bioestimulante a base de aminoácidos na redução dos efeitos fitotóxicos de herbicidas e sua influência no desenvolvimento de Bemisia tabaci. 2017. 35 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Agronomia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: Os bioestimulantes de plantas são um grupo de substâncias naturais ou sintéticas ou microorganismos usados em pequenas quantidades em aplicações via solo ou foliar para proporcionar melhoria do crescimento da cultura e conferir tolerância a estresses bióticos e abióticos. Esse trabalho objetivou avaliar a eficiência agronômica de um produto a base de aminoácido quanto à mitigação dos efeitos fitotoxicos de um herbicida e seu efeito sobre o desempenho de Bemisia tabaci. Para tal, foram realizados três bioensaios. No primeiro bioensaio em que se testou o efeito de uma formulação bioestimulante a base de aminoácidos (Naturamin®) sobre a recuperação da fitoxicidade causada à alface pela aplicação do glifosate os tratamentos foram representados por: 1) 0,2 L ha-1 de glifosato (Roundup Original®, 480g/L, Monsanto Do Brasil Ltda); 2) 0,2 L ha-1 de glifosato + 1 g da formulação do aminoácido por litro de água; 3) 0,2 L ha-1 de glifosato + 2 g da formulação do aminoácido por litro de água; 4) 1 g da formulação do aminoácido por litro de água; 5) 2 g da formulação do aminoácido por litro de água; 6) água – testemunha, sendo dispostos no delineamento inteiramente casualizado, com cinco repetições. O segundo e terceiro bioensaios foram delineados para avaliar o efeito do produto sobre o desempenho de B. tabaci desenvolvendo-se sobre alface e repolho, respectivamente. Em ambos os ensaios foram testados os seguintes tratamentos: 1) dose recomendada do inseticida Actara® 250 WG (Tiametoxam – 250 g kg-1) para controle de mosca-branca em repolho (0,8 kg ha-1); 2) testemunha – água; 3) 1 g da formulação do aminoácido por litro de água e infestação com o inseto logo após a aplicação (simultânea); 4) 2 g da formulação do aminoácido por litro de água e infestação com o inseto logo após a aplicação (simultânea); 5) 1 g da formulação do aminoácido por litro de água aplicado uma semana antes da infestação com o inseto (anterior); 6) 1 g da formulação do aminoácido por litro de água aplicado uma semana antes da infestação com o inseto (anterior), sendo dispostos no delineamento em blocos ao acaso com cinco repetições. O bioestimulante à base de aminoácidos não proporcionou recuperação do estresse representado pela aplicação do herbicida glifosate, favoreceu a fecundidade de B. tabaci quando o inseto desenvolveu-se sobre a alface e reduziu o número de ovos e de ninfas de B. tabaci quando o hospedeiro foi o repolho. A formulação a base de aminoácidos favoreceu o acúmulo de massa seca pela alface e de massa fresca pelo repolho.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2017.
Aparece na Coleção:Agronomia

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_MiguelAlexandroniCDeSousa_tcc.pdf842,28 kBAdobe PDFver/abrir


Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons