Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/20378
Título: Questão agrária e produção de alimentos orgânicos no Distrito Federal : o caso do acampamento Chapadinha
Autor(es): Fonseca, Michelle Amanda da Silva
Orientador(es): Canavesi, Flaviane de Carvalho
Assunto: Ecologia agrícola
Agricultura familiar
Agricultura orgânica
Data de apresentação: Nov-2017
Data de publicação: 10-Jul-2018
Referência: FONSECA, Michelle Amanda da Silva. Questão agrária e produção de alimentos orgânicos no Distrito Federal: o caso do acampamento Chapadinha. 2017. 49 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Agronomia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: A questão agrária no Brasil é tema recorrente de discussão uma vez que temos insuficientes ações que apontam para uma reforma agrária, persistindo a concentração de terras. Esse fato é afirmado quando se analisam os dados do censo agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2006 que mostram a desigualdade da posse da terra , apesar do número de agricultores familiares ser superior ao de grandes produtores, a área ocupada por estes é inferior à área ocupada pelos grandes produtores. Segundo IBGE (2006), essa desigualdade é caracterizada pela enorme proporção da área total agrícola ocupada pelos estabelecimentos com área maior ou igual a 100 hectares. Eles representam apenas 9,6% do total de estabelecimentos agrícolas no país e ocupam 78,6% da área total dedicada à atividade, ao passo que aqueles com área inferior a 10 hectares constituem mais de 50% dos estabelecimentos e ocupam apenas 2,4% da área total. A agroecologia, entende como uma ciência que aporta conhecimentos a estilos de agricultura mais sustentáveis, vem sendo uma alternativa para produtores que querem continuar produzindo em sinergia com o meio ambiente.Assim, os sistemas orgânicos adotados podem significar o manejos na produção que são benéficos para o meio ambiente e para a saúde de quem produz e de quem consome tais alimentos. Este trabalho buscou, por meio de levantamentos no acampamento Chapadinha, localizado no Distrito Federal, fazer uma análise sobre a estrutura fundiária e os impactos e conseqüências que as incertezas quanto a posse da terra pode causar aos agricultores familiares no desenvolvimento de suas práticas agrícolas e a disponibilidade de alimentos agroecológicos. Buscou-se caracterizar as práticas agrícolas e discutir os benefícios da agroecologia e produção orgânica. Foi observado através das respotas dos moradores que existem no local problemas ambientais causados pela agricultura convencional que era praticada no local antes da chegada do acampamento, os moradores tem conciência disso, por isso a escolha de produzir em sistemas orgânicos, responderam também que a falta de legalização da área onde moram traz dificuldades para eles como a não instalação de rede elétrica.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2017.
Aparece na Coleção:Agronomia

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_MichelleAmandaSFonseca_tcc.pdf1,02 MBAdobe PDFver/abrir


Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons