Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/20091
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_AdrianoCyrinoDeSousa_tcc.pdf2,31 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Estudo de uma usina solar fotovoltaica flutuante em um lago de hidrelétrica : UHE Tucuruí
Autor(es): Sousa, Adriano Cyrino de
Orientador(es): Brasil, Augusto César de Mendonça
Assunto: Energia solar
Usinas solares fotovoltaicas (UFVs)
Usinas hidrelétricas
Painel solar fotovoltaico
Sistema fotovoltaico
Data de apresentação: 6-Jul-2017
Data de publicação: 16-Mai-2018
Referência: SOUSA, Adriano Cyrino de. Estudo de uma usina solar fotovoltaica flutuante em um lago de hidrelétrica: UHE Tucuruí. 2017. 56 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Engenharia de Energia)—Universidade de Brasília, Brasília, 2017.
Resumo: A proposta deste estudo é possibilitar um melhor entendimento a respeito da instalação de usinas solares fotovoltaicas em lagos de hidrelétricas, descrevendo os possíveis benefícios com sua utilização, além de seus potenciais impactos. Aborda-se neste trabalho uma análise na UHE Tucuruí, maior usina hidrelétrica do país em termos de potência fiscalizada, com 8.535 MW, e com uma imensa área de reservatório, no valor de 2.850 km². Pode-se instalar 1 MW no local com apenas 9660,6 m² de espelho d’água, representando uma ínfima parcela no corpo d’água em questão. A instalação deste tipo de empreendimento pode trazer um acréscimo de até 40% na capacidade instalada da usina, ocupando apenas 1,16% do reservatório, ou 33 km², sem acarretar novos investimentos em seu sistema elétrico. Com isso, seria possível inserir 3.414 MW de potência ao SIN.. Para que isso ocorra, é necessário um estudo acerca do sistema de flutuação a ser utilizado. Recomenda-se a adoção de um sistema de flutuação do tipo pontão, de conexão modular, para que o sistema seja flexível e não sofra danos físicos com a movimentação da água do corpo d’água em questão. Ademais, utiliza-se uma âncora do tipo pirâmide ou cogumelo, a depender da dimensão da usina a ser projetada, garantindo assim uma melhor fixação no fundo do reservatório, e uma estabilidade do complexo.
Abstract: The proposal of this study is to provide a better understanding of the implementation of photovoltaic solar power plants in hydroelectric lakes, describing the possible benefits of their use, as well as their potential impacts. In this work, an analysis is carried out at UHE Tucuruí, the largest hydroelectric power plant in the country in terms of controlled power, with 8,535 MW, and with an immense reservoir area, in the amount of 2,850 km². One can install 1 MW in the place with only 9660.6 m² of water mirror, representing a tiny part in the body of water in question. The installation of this type of project can bring an increase of up to 40% in the installed capacity of the plant, occupying only 1.16% of the reservoir, or 33 km², without entailing new investments in its electrical system. With this, it would be possible to insert 3,414 MW of power to the SIN. For this to happen, a study is needed about the flotation system to be used. It is recommended to adopt a pontoon-type flotation system, modular connection, so that the system is flexible and does not suffer physical damages with the water movement of the water body in question. In addition, an anchor of the pyramid or mushroom type is used, depending on the size of the plant to be designed, thus ensuring a better fixation at the bottom of the reservoir, and a stability of the complex.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Gama, Curso de Engenharia de Energia, 2017.
Aparece na Coleção:Engenharia de Energia



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons