Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/19914
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_LarissaGomesPrado.pdf683,72 kBAdobe PDFver/abrir
Título: A validade da teoria da paridade do poder de compra no Brasil : janeiro de 1999 a outubro de 2017
Autor(es): Prado, Larissa Gomes
Orientador(es): Feijó, Flávio Tosi
Assunto: Paridade de poder de compra
Brasil - economia
Testes de raiz unitária
Argentina
China
Estados Unidos
Data de apresentação: 27-Mar-2018
Data de publicação: 16-Abr-2018
Referência: PRADO, Larissa Gomes. A validade da teoria da paridade do poder de compra no Brasil: janeiro de 1999 a outubro de 2018. 2017. 79 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Econômicas)—Universidade de Brasília, Brasília, 2018.
Resumo: Este trabalho tem por objetivo analisar a validade da Paridade do Poder de Compra (PPC) no Brasil a partir da mudança da política cambial de câmbio fixo, utilizada até o final de 1998, para a adoção do regime de taxas de câmbio flexíveis, implantado em janeiro de 1999. Com dados mensais de janeiro de 1999 a outubro de 2017, utilizou-se a metodologia de verificação de raiz unitária para testar a PPC nas séries de taxas de câmbio real entre Brasil e Argentina, Estados Unidos e China. Os resultados obtidos, em geral, rejeitam a hipótese da PPC em relação a essas moedas mesmo desprezando os períodos considerados com quebras estruturais, como a crise de confiança ocorrida no Brasil no final de 2002, as reações à crise imobiliária americana em 2008 e, finalmente, a recessão econômica vivida pelo Brasil desde 2015. Consequentemente, as evidências empíricas aqui obtidas não demonstram a validade da existência de uma taxa de câmbio real de equilíbrio de longo prazo para a economia brasileira no período considerado.
Abstract: This paper intends to analise the validity of the Purchasing Power Parity (PPP) in Brazil since the change in the exchange policy from fixed exchange rate, in use up to the end of 1998, to the adoption of the flexible exchange rate policy, implemented in January of 1999. With monthly data from January of 1999 to October of 2017, a methodology of unitary root test was used to assess the PPP in real exchange rates between Brazil, Argentina, the United States and China. Results obtained, as a general conception, reject the hypothesis of the PPP when compared to these currencies even if periods of structural breakdown are not taken into account, such as the crisis of confidence that took place in Brazil at the end of 2002, the reactions to the American housing crisis and finally the economic recession in Brazil since 2015. As a consequence, the empirical evidence here obtained do not present proof of existence of a real exchange rate of balance in the long term to Brazilian economy during the period considered.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade, Departamento de Economia, 2018.
Aparece na Coleção:Ciências Econômicas



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons