Utilize este link para identificar ou citar este item: http://bdm.unb.br/handle/10483/19634
Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
2017_GustavoMendesdosSantosCardia.pdf1,44 MBAdobe PDFver/abrir
Título: Compreensão de justiça ambiental por parte de usuários de dois parques do Distrito Federal : estudo de caso Parque Sucupira e Parque Olhos D’água
Autor(es): Cardia, Gustavo Mendes dos Santos
Orientador(es): Tamaio, Irineu
Assunto: Justiça ambiental
Unidades de conservação da natureza
Parque Sucupira - Planaltina (DF)
Parque Ecológico Olhos D'Água - Asa Norte (DF)
Data de apresentação: 4-Dez-2017
Data de publicação: 9-Mar-2018
Referência: CARDIA, Gustavo Mendes dos Santos. Compreensão de justiça ambiental por parte de usuários de dois parques do Distrito Federal: estudo de caso Parque Sucupira e Parque Olhos D’água. 2017. 45 f., il. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Gestão Ambiental)—Universidade de Brasília, Planaltina-DF, 2017.
Resumo: A Região Administrativa de Planaltina, localizada no Distrito Federal, possui 9 parques, no entanto, apenas dois destes parques possuem infraestrutura minimamente adequada para receber visitantes, que são o Parque Recreativo Sucupira e o Parque Ecológico dos Pequizeiros. Porém a cerca de 45 km de Planaltina, a Região Administrativa do Plano Piloto possui nada menos do que 10 parques de uso múltiplo, com infraestrutura adequada para receber visitantes, com destaque para o Parque Ecológico Olhos D’água com excelentes instalações. Esta pesquisa investiga e analisa as desigualdades de acesso aos direitos socioambientais, entre os moradores de uma área nobre (Plano Piloto) e da periferia (Planaltina), sob a ótica da justiça ambiental e do senso de pertencimento. Utiliza como principal metodologia uma entrevista, realizada em duas unidades de conservação, do tipo semiestruturada, formada por 10 perguntas abertas e fechadas. Após a análise dos dados e dos relatos obtidos ficou evidente que existe uma clara diferença na compreensão do processo de justiça ambiental por moradores de Planaltina e do Plano piloto. Os frequentadores do Parque Ecológico Sucupira, embora possuam menor escolaridade em relação aos do Parque Olhos D’Água, mostraram terem mais compreensão da questão da injustiça ambiental ao qual estão submetidos. Assim, esse trabalho mostra que é preciso dar mais visibilidade ao processo de injustiça ambiental e cobrar soluções do poder público, pois o acesso ao meio ambiente equilibrado é um direto constitucional e universal que está sendo ferido, uma vez que moradores da periferia da capital federal tem o acesso ao meio ambiente natural bastante prejudicado por falta de estrutura, segurança e incentivo.
Abstract: The Administrative Region of Planaltina, located in the Federal District, has 9 parks, however, only two of these parks have minimally adequate infrastructure to receive visitors, which are the Recreativo Sucupira Park and the Pequiiras Ecological Park. However, about 45 km from Planaltina, the Administrative Region of the Pilot Plan has no less than 10 multipurpose parks, with adequate infrastructure to receive visitors, especially the Olhos D'Agua Ecological Park with excellent facilities. This research investigates and analyzes the inequalities of access to social and environmental rights between residents of a noble area (Plano Piloto) and the periphery (Planaltina), from the point of view of environmental justice and a sense of belonging. It uses as main methodology an interview conducted in the two semi-structured conservation units, formed by 10 open and closed questions. After analyzing the data and the reports obtained, it was evident that there is a clear difference in the understanding of the environmental justice process by residents of Planaltina and the Pilot Plan. The residents of the Sucupira Ecological Park, although they have a lower level of schooling compared to the Olhos D'Água Park, have shown that they have a better understanding of the environmental injustice to which they are subjected. Thus, this work shows that it is necessary to give more visibility to the process of environmental injustice and to charge solutions of the public power, since the access to the balanced environment is a constitutional and universal direct that is being injured, since residents of the periphery of the federal capital has access to the natural environment greatly damaged by lack of structure, safety and incentive.
Informações adicionais: Trabalho de Conclusão de Curso (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Planaltina, 2017.
Aparece na Coleção:Gestão Ambiental



Este item está licenciado na Licença Creative Commons Creative Commons